Criada a “Fundação Ciência e Fé”

Por solicitação do Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, Cardeal Gianfranco Ravasi, o Papa Bento XVI criou a Fundação Ciência e Fé, dotada de personalidade jurídica pública, canônica e civil. view

Segundo notícia divulgada em 10 de janeiro pelo Secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone, a nova Instituição terá sede no Vaticano e dará continuidade e estabilidade ao Projeto STOQ (Science, Theology and the Ontological Quest), o qual promoveu ao longo dos últimos anos o diálogo entre teologia, filosofia e ciências naturais, por meio de iniciativas de estudo, investigação e divulgação cultural.

A Fundação Ciência e Fé — a primeira do gênero no Vaticano — dará prosseguimento à colaboração existente, desde alguns anos, entre o Pontifício Conselho para a Cultura e universidades pontifícias como a Lateranense, a Gregoriana, a Salesiana, a Urbaniana, a da Santa Cruz, o Angelicum e o Ateneu Regina Apostolorum.

(Revista Arautos do Evangelho. Março 2012. p. 40)

Curso sobre Foro Interno

Roma (Terça-feira, 06-03-2012, Gaudium Press) A 23ª edição do “Curso sobre Foro Interno”, iniciou-se ontem, 5, no Palácio da Chancelaria em Roma, organizado pela Penitenciaria Apostólica.

Mais de 700 sacerdotes provenientes de 84 países participaram do evento que trata sobre o Sacramento da Penitência.

275822.jpg
Dom Gianfranco Girotti

Entre os conferencistas estavam o Cardeal Manuel Monteiro de Castro, Penitenciário-mor, e Dom Gianfranco Girotti, Regente da Penitenciaria.

Em entrevista à Rádio Vaticano, Dom Girotti afirmou que “hoje a redescoberta do Sacramento da Penitência depende em grande parte dos sacerdotes e sobretudo da consciência de que eles são os despositários de um ministério precioso e insubstituível”.

O prelado recordou as palavras do Beato João Paulo II que dizia que depois da Celebração Eucarística, o ato mais alto de um sacerdote é o de conceder aos fiéis a graça do perdão através do Sacramento da Penitência.

Perguntado sobre possíveis sinais de uma redescoberta do Sacramento da Reconciliação, Dom Girotti comentou que “é necessário sempre percorrer novos caminhos penitenciais que indiquem efetivamente a vontade de caminhar, de se aproximar do Sacramento da Reconciliação como conclusão de um percurso, no qual o fiel deve sentir os próprios atos não como declaração de boa vontade, mas como presença da Graças na própria vida”.

Dom Girotti alertou também para um certo enfraquecimento do sentido de pecado, lembrando entretanto que nestes últimos tempos “muitos fiéis vivem o Sacramento com uma nova dimensão”.

Sobre a diferença de abordagem entre os diversos confessores, o Bispo explicou que esse é precisamente o objetivo dos cursos “reforçar a competência, a doutrina dos confessores para ajudá-los a agir sempre no magistério da Igreja, para que não existam diferenças nos juízos, mas que todos apliquem os princípios do magistério da Igreja”. (EPC)

Com informações da Rádio Vaticano.

Encontro Mundial de Responsáveis e Diretores Espirituais das Obras Eucarísticas da Igreja

“Necessitamos aumentar a comunhão com Cristo e entre nós mesmos”, declarou na Universidade Católica San Antonio (UCAM), o presidente do Pontifício Comitê para os Congressos Eucarísticos Internacionais, e Arcebispo de Martirano, Mons. Piero Marini, durante a inauguração do Encontro Mundial de Responsáveis e Diretores Espirituais das Obras Eucarísticas da Igreja, realizado na Igreja do Mosteiro dos Jerônimos, templo anexo à Universidade Católica San Antonio da cidade de Múrcia, Espanha, em preparação para o 50º Congresso Eucarístico Internacional em Dublin, Irlanda, em 2012. 1

Após a celebração da Eucaristia, presidida por Mons. Marini, houve o ato inaugural do simpósio do qual participaram os presidentes da UCAM, e da Federação Mundial das Obras Eucarísticas da Igreja, José Luis Mendoza e Eduardo Moreno, e o Bispo da Diocese de Cartagena, Mons. José Manuel Lorca Planes.

O presidente da Universidade Católica San Antonio, José Luis Mendoza, defendeu o estímulo à presença cristã no mundo universitário do nosso tempo e destacou a vocação da liberdade e a evangelização como pilares da UCAM.

Por sua vez, o responsável mundial das Obras Eucarísticas da Igreja, Eduardo Moreno, sugeriu o cuidado pela dignidade nos sacrários e capelas, assim como, fomento da prática eucarística entre as crianças. Em seguida, o Bispo de Cartagena, Mons. Lorca Planes, relembrou o papel da Eucaristia como sendo a raiz da vida cristã.  Mons. Marini ressaltou a necessidade de manter uma plena comunhão com Cristo e com o Papa.

2Essa primeira jornada incluiu a entronização na Igreja dos Jerônimos de um retrato do Papa João Paulo II, pintado pelo artista murciano, José María Falgas, uma mesa redonda sobre a Adoração Eucarística, constituída pelo Diretor Espiritual do Conselho Arquidiocesano da Adoração Noturna de Los Angeles (EUA), Ramón Martí, do Conselho Nacional da Adoração, Real, Perpetua e Universal ao Santísimo Sacramento (ARPU), Mario Vázquez Carballo, e do Pastor e Promotor da Adoração Perpétua na Itália e no Estrangeiro, Roberto Pedrini.

Em seguida, houve uma conferência intitulada “Fundadores das Obras Eucarísticas: além de sua paternidade específica, o estimular perfís eucarísticos nos fiéis’, a cargo do assistente Eclesiástico da Federação Mundial das Obras Eucarísticas da Igreja, Pe. Rafael Ibarguren, EP, dos Arautos do Evangelho, e ‘A Eucaristia e a Nova Evangelização’, pelo consultor da Sagrada Congregação para o Culto Divino e para a Disciplina dos Sacramentos, Aurelio García. 3

O Cardeal D. Antonio Cañizares Llovera, num escrito dirigido a Eduardo Moreno Gómez, Presidente da Federação Mundial das Obras Eucarísticas da Igreja, quis estabelecer um “vínculo de colaboração oficial” entre a Congregação para o Culto Divino da qual é Prefeito e esta Federação. O cardeal termina seu escrito com uma exortação, animando as associações de fiéis, assim como as confrarias que tem a prática da adoração Eucarística a um compromisso especial, para que sigam “sendo fermento de contemplação para toda a Igreja e chamada à centralidade de Cristo para a vida dos indivíduos e das comunidades”.

Lançado no Líbano livro do Papa em língua árabe

logo

Rádio Vaticano — Luz do Mundo. O Papa, a Igreja e os Sinais do Tempo, livro-entrevista com Bento XVI, de autoria do jornalista alemão Peter Seewald, foi apresentado em 10 de dezembro na Feira Árabe do Livro, de Beirute.
Assim essa obra, publicada há pouco mais de um ano em cinco idiomas, conta já com versões em 28 idiomas. A edição em árabe, de 254 páginas, será distribuída do Marrocos ao Iraque, passando por todos os países do Golfo Pérsico.
No ato de apresentação, realizado no Centro Católico Informativo da capital libanesa, o diretor da Libreria Editrice Vaticana, Mons. Giuseppe Antonio Scotti, concedeu uma coletiva à imprensa, oferecendo detalhes sobre a origem do livro, sua publicação e difusão, e destacando o acolhimento cada vez maior por parte do público.
Segundo informa o jornal L’Osservatore Romano, têm se multiplicado as traduções dos livros do Pontífice em línguas menos conhecidas.

Solene inauguração do ano letivo de 2012 no Seminário São Tomás de Aquino

Na tarde do dia 28 de janeiro, memória de São Tomás de Aquino, deu-se a solene inauguração do ano letivo de 2012,na Casa de Formação Sacerdotal São Tomás de Aquino. A fim de atrair as bênçãos celestiais para os trabalhos de mais um ano acadêmico, celebrou-se a Eucaristia na Igreja anexa ao Seminário, presidida por D. Benedito Beni dos Santos, Bispo Diocesano de Lorena e Supervisor Geral de Formação dos Arautos do Evangelho.

Concelebraram a Missa em memória “do mais santo dos sábios e mais sábio dos santos” o Pe. Rivelino Nogueira, Cura da Catedral Nossa Senhora da Piedade (Lorena-SP), o Pe. Carlos Javier Werner Benjumea, EP, Prefeito de estudos dos Arautos do Evangelho, Pe. Caio Newton de Assis Fonseca, EP, Diretor do Instituto Teológico São Tomás de Aquino, Pe. Joshua Sequeira, EP, Diretor da Revista Acadêmica Lumen Veritatis, Pe. Leonardo Barraza Aranda, EP e o Pe. Winston Salazar Rojas, EP, professores do IFAT e do ITTA.

Assistiram à cerimônia o corpo docente do IFAT e do ITTA. Somaram-se ao corpo discente de ambos os institutos, cerca de 900 Arautos do Evangelho, provenientes dos colégios e seminários menores de diversas cidades do Brasil e do mundo, deixando repleta a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. PICTURE-GIF

A Liturgia foi animada pelo Coro e Orquestra Internacional dos Arautos do Evangelho, sob a regência do Pe. Pedro Rafael Morazzani Arráiz, EP. Foram executadas obras de Georg Friedrich Händel (1685-1759) e Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525-1594), assim como cânticos gregorianos.

Em brilhante homilia, Dom Beni correlacionou as leituras do dia com a memória de São Tomás. Iniciou comentando o Evangelho, do qual ressaltoua pergunta de Nosso Senhor após ser acordado pelos Apóstolos na barca sob a tempestade: “Como sois medrosos! Ainda não tendes fé?” (Mc 4,40). Discorreuentão sobre a complexa realidade da fé, primeiro, enquanto obediência à Palavra; segundo, enquanto acolhida de Jesus, e por fim, como um ato de confiança em Deus. Em seguida, aplicou a necessidade desta virtude, especialmente naqueles momentos em queJesus parece estar “dormindo”, dando-nos a impressão de estar longe de nós.

Passando para a primeira leitura, a qual narrava os sucessivos pecados de Davi. Recordou tambéma bela e singela parábola de Natã, na qual demonstrava ao Rei Profeta que havia cometido um crime deplorável. Em seguida usou do Salmo 50 para demonstrar como a confissão sacramental exige certos atospara ser perfeita, eque englobam o homem por inteiro, ou seja, ela necessita de atos passados (exame de consciência e arrependimento), presentes (confissão e pedido de perdão), e futuros (penitência e a missão de anunciar a misericórdia de Deus aos pecadores). Destarte, Dom Beni demonstrou também através deste salmo que a verdadeira contrição atua sobre toda a vida humana.

Em seguida, glorificou o Doutor Angélico, cuja memória se celebrava naquele dia, recordando a importância da Suma Teológica de São Tomás de Aquino, na formação do verdadeiro teólogo. Tratou também do amor do Aquinense aos sacramentos, enquanto canais da graça oriundos desta fonte que é Jesus Cristo. Ao final, lembrou que os sacramentos conferem a graça divina, mas a Eucaristia dá ao fiel o próprio Deus, sendo por isso, o mais sublime dos sacramentos. Concluiu o sermão com a célebre frase do santo na ocasião em que ele estava prestes a receber o viático, algumas horas antes de sua passagem desta vida para a eterna: “Recebo-Te a Ti, preço da redenção da minha alma. Recebo-Te a Ti, viático da minha peregrinação, por cujo amor estudei, vigiei, trabalhei, preguei e ensinei.Nunca disse nada contra Ti. Se o fiz, foi por ignorância, e não sou persistente na minha opinião. Mas se eu disse algo de mal deste sacramento ou de outras coisas, tudo entrego à correção da santa Igreja Romana, de cuja obediência eu nunca me desviei nesta vida”.

Deus…quem é Ele?

Instituto de Teologia dos Arautos do Evangelho publicará o primeiro volume da Coleção Conheça sua Fé: Deus…quem é Ele?


O “Deus desconhecido”. Foi este o motivo usado no discurso de São Paulo para anunciar o Senhor, no mais famoso centro intelectual da Grécia de seu tempo: o Aerópago. Na Capital da Sabedoria da Antiguidade, o Apóstolo pronunciou uma das poucas alocuções do Olimpo da filosofia que a História conservou até os nossos dias[1].

Um “Deus desconhecido”, que “se adora sem conhecer”… Esta realidade não é exclusiva dos antigos. Não será ela mais atual do que no tempo de São Paulo? Se fosse dada ao Apóstolo dos Gentios a possibilidade de, hoje, descer do Paraíso à Terra, não encontraria ele, em muitos corações, altares dedicados ao “Deus Desconhecido”? Na atualidade, portanto, Deus é realmente conhecido?

À primeira vista, a pergunta parece inútil, e a resposta evidentemente positiva: Deus é muito conhecido!

A Deus, todos os dias, agradecemos os bens, pedimos que nos livre do mal. Ele nos fala no interior do coração, protege-nos com sua providência discreta, mas eficaz; aconselha-nos em nossos soluços, alivia-nos em nossas penas; sussurra baixinho em nossos silêncios, e nos consola em nossos momentos de dor. Ele nos dá motivos de alegria e enxuga nossas lágrimas. Deus está sempre perto de nós. Portanto, é conhecidíssimo de todos os homens. Deus é o Ser mais famoso do mundo.

Mas há gente que, embora reconheça a existência de Deus, pensa de modo diverso. Para elas, Deus parece ausente do mundo. Não está nas telas dos telejornais, não tem espaço na mídia, Ele está longe de nosso cotidiano, nunca ninguém O viu… Para alguns, Deus é o culpado de toda dor, maldade e sofrimento. Ele parece demasiado exigente ao nos cobrar comportamentos morais muito elevados e árduos. Será que para tais pessoas Deus é realmente conhecido?

Será que mesmo entre os cristãos, aqueles que n’Ele acreditam e que O amam, existe um verdadeiro conhecimento de quem é Deus? Será que os cristãos conhecem o Bom Deus como Ele é? Será que não existe um altar em muitos corações – e inclusive no meu – com um lugar para o “Deus desconhecido”? Será que Deus não seria o Ser, ao mesmo tempo mais famoso, mas também o mais desconhecido do mundo atual?

E eu? Será que conheço Deus? Saberia responder às perguntas, quem é Ele? Como é Ele? O que é Ele? Onde Deus está? Como Ele vive? Como Ele me conhece? Como Ele me ama? Como é a intimidade d’Ele? Ele é feliz? O que fazer  para ser feliz como Ele?

Estas são perguntas difíceis de responder, as quais,  se formos pesquisar e aprofundar,  nos levariam  diante de um imenso mistério. A altura de Deus supera o alto dos céus, sua profundeza, todos os abismos. Seu tamanho é incomensurável, sua beleza é deslumbrante. Deus é… O que é Deus? Quem é Ele? Volta-nos à mente a maior das perguntas, questão que é, ela mesma, a maior das respostas, pois a procura de sua solução resolve todos os nossos problemas pessoais, responde todas as questões existenciais: para que nasci e vivo? Por que sofro e luto nesta terra? O que há depois da morte?

Sim, Deus é a solução. Mas onde encontrá-lo? Deus é o ser que enche meu vazio interior, que alimenta minha fome, que sacia minha sede, que veste minha nudez. Mas quem é Ele? Quem poderá apresentá-Lo a mim? De que maneira posso conhecer  Deus como Ele é?

São Paulo em Atenas definia o “Deus desconhecido” como um Ser semelhante a nós, “de nossa raça”, que “dá alento a todo vivente”,  convida-nos a conhecê-Lo, a amá-Lo e a segui-Lo. Ele está perto de mim, como diz São Paulo, n’Ele vivemos, movemo-nos e existimos (Cf. At 17, 21-34). Mas, volta à tona a pergunta fundamental: quem é Ele?

A resposta a esta pergunta é essencial para o homem compreender o sentido de sua vida, e constitui um convite constante e universal para alcançar o anseio mais recôndito do coração humano, a tão almejada felicidade. E eis que ela não está distante de nós, pois Deus nos quer como amigos. Deus deseja revelar-se ao homem. Ele gosta de conversar conosco. Ele está perto de nós, mas… estaremos nós perto d’Ele?

A fim de que este convite universal, dirigido a todos os homens e, por conseguinte, a mim, possa se realizar, alguns professores e alunos do Instituto Teológico São Tomás de Aquino (ITTA) e do Instituto Filosófico Aristotélico Tomista (IFAT) reuniram-se com o empenho de dar início à série Conheça a sua Fé, cujo primeiro exemplar é o livro que o benévolo leitor agora folheia. Ele não visa ser propriamente um catecismo, pois cabe à autoridade eclesiástica competente publicá-lo, mas somente um auxílio didático para catequistas, leigos ou pregadores que desejem aprofundar-se, deleitar-se e transmitir aos outros a nossa fé Católica.

Para isto, além dos ensinamentos Bíblicos e do magistério da Igreja, tanto Pontifício como Conciliar, os artigos se baseiam nos escritos dos Padres da Igreja, ou seja, dos primeiros doutores cristãos, assim como no pensamento de São Tomás de Aquino, o maior teólogo da História da Igreja, sem descuidar os avanços teológicos e exegéticos de nosso tempo. A linguagem visa ser simples e atraente, ao gosto do nosso público brasileiro. Tarefa não fácil, pois nosso povo, embora muito benévolo, é talvez um dos mais exigentes ao escolher uma opção de leitura. Esta adaptação procurará manter a especificidade dos termos usados pela filosofia e pela teologia cristã. Esperamos que esta leitura faça bem às almas, eleve a Deus os corações dos fieis e possa responder em algo à pergunta fundamental que move todas as inteligências e todos os corações, e cuja resposta pode resolver os problemas do homem, e, por consequência, do mundo em que vivemos, o grande Aerópago da modernidade.

O primeiro volume, apresentado por Dom Benedito Beni dos Santos, um dos teólogos brasileiros mais ilustres da atualidade, conta com 132 páginas ricamente ilustradas.  Para encomendar o seu entre em contato!

Instituto Lumen Sapientiae

Rua Dom Domingos de Sillos, n° 238 – sala 11

CEP: 02.526-030 – São Paulo –SP

(11) 4419-2311

E-mail: [email protected]

2012, 1ª Edição

Editora Lumen Sapientiae, São Paulo, 2012.


[1] Cf. Narrado em At 16,9, ocorrido por volta do ano 50-53 d. C..

A Beleza no relato Bíblico

Diácono Inácio de Almeida

A alegria diante das obras de Suas mãos é expressa pela perfeição e beleza das coisas que criara. Tudo era muito belo, sem mácula, sem defeitos. Deleite para os sentidos daquele que trouxera à Terra uma cópia do céu. O belo é compreendido como sendo uma semelhança da perfeição na obra de Deus.

As interpretações teológicas dão conta de que Deus se preocupou com a beleza e a variedade de sua criação. Por conseguinte, transmitiu à suas criaturas racionais, o dom da apreciação do belo. Esta apreciação se deu no exato instante em que o homem saiu das mãos do Criador e passou a contemplar as belezas do jardim do Éden.

Adão, o primeiro homem, saiu das mão de seu Criador perfeito em organização e beleza de forma. Foi ele a obra que coroou a criação, pois era feito à imagem de Deus. Adam and Eve

Adão e Eva, conforme o relato histórico cristão, eram nobres em estatura e perfeitos em simetria e beleza. Estavam sem pecado e em perfeita saúde. Os órgãos e faculdades de seu ser encontravam-se desenvolvidos e harmoniosamente equilibrados.

Foi o desejo imoderado que trouxe como resultado a perda do Éden. Eva, distanciada de seu esposo, passeava pelo jardim, admirando as belezas na criação de Deus, e tardou em considerar a restrição imposta por Deus no tocante à árvore do conhecimento.

No paraíso tudo era belo

Curiosa, aproximou-se da árvore proibida, desejosa em saber como a morte poderia esconder-se em um fruto de tão bela árvore. Surpreende-se ao escutar uma serpente dirigir-lhe a palavra. Com voz musical, palavras suaves e melodiosas, Satanás dirigi-se à maravilhada Eva. A serpente exalta-lhe a beleza e o excessivo encanto, o que agradou a Eva. Ela sentindo-se encantada, lisonjeada, toma do fruto e come. Tão pronto desobedeceu, Eva tornou-se um poderoso meio para ocasionar a queda do esposo.

Desta forma, se pode concluir que de acordo com a Bíblia, desdo os primeiros dias em que o universo foi criado, Deus ao contemplar as obras de suas mãos viu que tudo era bom e ao mesmo tempo viu também que tudo era belo e estava conforme a Sua vontade. Eram boas e igualmente belas, pois boas se diz das coisas que são apetecíveis e belas dos apetecíveis que são agradáveis.

As criaturas eram, portanto, aos “olhos de Deus”, além de boas, efetivamente belas. As criou cheias de beleza para revelar a nós sua glória e fazermos participar de sua felicidade. Santo Agostinho citado pelo catecismo da Igreja Católica (CIC, 32) diz:

“Interroga a beleza da terra, interroga a beleza do mar, interroga a beleza do ar que se dilata e se funde, interroga a beleza do céu… interroga a todas as realidades. Todas elas te respondem: olhai-nos, somos belas. Sua beleza é um hino de louvor. Estas belezas sujeitas a mudanças, quem as fez se não O belo não sujeito à mudanças?” (Serm. 241, 2: PL 38, 1134)

Todas as coisas naturais, viventes ou não viventes, estão repletas de beleza. Tal abundância de beleza representada de tantas formas e em tantos níveis, nunca poderia vir a ser uma causalidade. Desta forma, a beleza encontrada na natureza procede de um motivo que não está vinculado somente à necessidade e tem uma razão de existir.

Portanto, existe Alguém responsável pela beleza natural das coisas. Tales de Mileto, o primeiro dos filósofos gregos diz: “De todas as coisas que são… a mais bela é o universo, pois é obra de Deus”.

Por isso, de acordo com a doutrina Bíblica, quando o poeta descreve uma orquídea ou quando o filósofo demonstra um raciocínio, são estes os graus da escada que leva até a mais alta e excelsa beleza, o Criador.

Aniversário de nascimento de São Josemaría Escriva de Balaguer

(Gaudium Press) No dia 9 de janeiro de 1902, o mundo e a Igreja viram nascer aquele que é conhecido hoje como “o santo da vida ordinária”: São Josemaría Escriva de Balaguer, fundador da Opus Dei.

Por ocasião do aniversário de natalício do santo espanhol, o prelado da Opus Dei, Dom Javier Echevarría, na mensagem que para o presente mês de janeiro dirigiu aos membros da Opus Deis, alentou a seguir acudindo com fé “a sua intercessão, pedindo pela Igreja e pela humanidade”, e a entregar-lhe de modo especial “as necessidades da Obra, de suas filhas e de seus filhos no mundo inteiro”.

Particularmente, Dom Echevarría também convidou em sua mensagem a ter em conta hoje mais do que nunca “o estimulo sobrenatural e humano, o otimismo nascido da fé”, que São Josemaría mostrou em carta que dirigiu aos membros da Obra ao concluir a guerra civil espanhola.READY

“Obstáculos? Não me preocupam os obstáculo exteriores: com facilidade os venceremos. Não vejo mais que um obstáculo imponente: vossa falta de filiação e vossa falta de fraternidade, se alguma vez se deram em nossa família. Tudo mais (escassez, dúvidas, pobreza, desprezo, calúnia, mentira, ingratidão, contradição aos bons, incompreensão e ainda perseguição por parte da autoridade), tudo, não tem importância, quando se conta com Pai e irmãos, unidos plenamente por Cristo, com Cristo e em Cristo. Não haverá amarguras, que possa nos tirar a doçura de nossa bendita caridade”, cita São Josemaría o prelado da Opus Deis em sua mensagem.

Para conhecer melhor o fundador da Opus Dei
Em razão do 110º aniversário do nascimento de São Josemaría, a Assessoria de Informações da Opus Dei, através de seus diversos meios web, disponibilizou vário recursos para que fiéis e pessoas de boa vontade próximo à vida e obra do santo espanhol conheçam melhor o fundador da Opus Dei.

Entre estes recursos, há uma biografia interativa que contem vídeos sobre alguns encontros que São Josemaría teve com diversos fiéis e links de seus livros e estudos referente ao fundador da Opus Dei.

Além disso, por meio do aplicativo “Google maps”, foi desenhado um mapa interativo onde se expõem os primeiros anos da Opus Dei, e com o apoio do Centro de Documentação e Estudo Josemaría Escrivá de Balaguer (CEDEJ) se realiza uma explicação das “Questões históricas: Os primeiros anos da Opus Dei”.

O site ainda contem vídeos em alta definição com alguns de seus ensinamentos, lembranças de sua canonização – que aconteceu no dia 6 de outubro de 2002 e foi presidida pelo hoje beato João Paulo II, que se refiriu a ele como “o santo da vida ordinária”, assim como livros que fazem referência ao santo espanhol.

A Opus Dei foi fundada em 2 de outubro de 1928. Atualmente, a Obra conta com mais de 2 mil sacerdotes e 88 mil membros em todo o mundo.

Com informações da Opus Dei.

Cardeal Cipriani adverte contra o relativismo

(Gaudium Press) “Que alegria poder celebrar esta solenidade acompanhado por duas pessoas de diferentes maneiras nos aproxima do Santo Padre; um colaborador da cúria romana como o Cardeal Robert Sarah, e o representante do Papa no Peru, o senhor núncio apostólico, Dom James Patrick Green”, disse o arcebispo de Lima, Cardeal Juan Luis Cipriani no início da Solene Missa presidida por ele no último domingo, 8. Na ocasião se comemorou no país a Festa da Epifania do Senhor. Cardenal_cipriani

Concelebraram a missa junto com Dom Cipriani, além do presidente do Pontifício Conselho “Cor Unum”, Cardeal Sarah, o núncio apostólico, que chega agora ao Peru, Dom Green, os três bispos auxiliares de Lima,, Dom Adriano Tomasi, Dom Guillermo Abanto e Dom Raúl Chau, entre outros.

Durante a homilia, o arcebispo de Lima advertiu contra o relativismo e exortou os presentes a lutar pela retidão da consciência. “Que não se meta o relativismo no qual as pessoas dizem uma coisas e fazem outra. A consciência é o sacrário onde Cristo está em voz baixa dizendo-lhe ao ouvido: ‘filho meu, deixa isso, te espero em uma boa confissão’. Tenhamos o coração vigilante e uma consciência reta e limpa, bem formada. Há que afirmar a fé com a vida. Irmãos, a Igreja mais que nunca nos pede para proclamar tua fé com tua palavra e com tuas obras”.

Cardeal Cipriani também convidou os fiéis a não abandonarem o santuário interior que todos possuem, que é a alma, e a introduzir Cristo nele.

“Hoje em dia o mundo anda a procura de mudanças e descuidou deste mundo interior, onde ocorrem os grande sucessos de tua vida, na alegria, no amor, e no perdão. Jesus te espera, te busca, te escuta e te anima. Não deixemos que o mundo nos tire esta dimensão tão grande do espírito humano: o assombro, a oração, e a alegria interior. Esse coração quer estar cara a cara no silêncio da contemplação”, salientou.

Neste ponto, ainda complementou, afirmando que “Cristo é a estrela que cada um de nós vai conduzindo. Nunca desaparece. Jesus sempre está conosco e isso hoje mais do que nunca o celebramos de um modo muito especial. Jesus é a estrela que conduz a cada um de nós”.

Acolhendo a Palavra de Deus, os adultos serão bons educadores

(Gaudium Press) Em cerimônia realizada na Capela Sistina, na manhã do último domingo, 08, o Papa Bento XVI presidiu uma solene liturgia, durante a qual administrou o Sacramento do batismo a 16 bebês.

Esta tradicional cerimônia comemora o dia do Batismo do Senhor e representa a última celebração do Natal.pope

Logo no início da celebração, o Papa dirigiu-se aos pais dos que iriam ser batizados, dando-lhes as boas-vindas. “Recebo com alegria, em nome da grande família, que é a Igreja, estas crianças tão queridas”, disse.

Dentro do ritual, em seguida, ele pediu aos pais que dissessem o nome das crianças e fez o sinal da cruz na testa de cada um dos bebês, batizando-as.

Após as leituras, na homilia, Bento XVI destacou que “educar é tarefa exigente, difícil, árdua para as nossas capacidades; mas torna-se uma missão maravilhosa, se cumprida em colaboração com Deus, o primeiro e verdadeiro educador”.

Lembrando a primeira Leitura – uma passagem do Profeta Isaías – o Santo Padre afirmou que “Deus quer nos dar coisas boas para beber e comer, coisas que nos fazem bem; mas às vezes, nós usamos mal nossos recursos, os utilizamos em coisas que não servem ou que são até mesmo nocivas. Deus quer dar-nos, sobretudo, a Si mesmo”.

Dentro desta perspectiva, recordou o Pontífice, as verdadeiras nascentes são a Palavra de Deus e os Sacramentos. “Os adultos são os primeiros a dever alimentar-se nestas fontes, para poder orientar os mais jovens em seu crescimento. Os pais devem dar muito, mas para poder dar, precisam, por sua vez, receber, caso contrário, se esvaziam, se esgotam”, afirmou.

“Os pais não são a fonte, como também nós sacerdotes não somos a fonte: somos como canais através dos quais deve passar a seiva vital do amor de Deus”, acrescentou o pontífice.

Encaminhando seu raciocínio para o Evangelho, Bento XVI chamou a atenção para a figura de João Batista, “grande educador dos seus discípulos porque os conduziu ao encontro com Jesus, de quem deu testemunho. Não se exaltou, nem quis ter os discípulos presos a ele”.

Neste sentido, o Santo Padre disse: “O verdadeiro educador não prende as pessoas a si mesmo, não é possessivo. Quer que o filho, ou o discípulo, aprenda a conhecer a verdade e estabeleça com esta uma relação pessoal”.

Ao referir-se à segunda Leitura, da I Carta de São João, o Papa afirmou que saber que é o Espírito Santo, o Espírito de Deus, que dá testemunho de Jesus, Cristo, Filho de Deus, “é de um grande conforto na tarefa de educar na fé, para sabermos que não estamos sós e que o nosso testemunho é sustentado pela fé”.

Por fim, o pontífice relacionou a educação e a oração, sentenciando:”A oração e os Sacramentos nos oferecem aquela luz de verdade graças à qual podemos ser ao mesmo tempo suaves e fortes, usar doçura e firmeza, calar e falar no momento certo, chamar a atenção e corrigir de modo justo”.

Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais – novos conselheiros

(Gaudium Press) A argentina Susana Nuin Núñes, atual secretária executiva da Comissão para os Meios de Comunicação Social do Conselho Episcopal Latinoamericano (Celam), é a única representante do continente latinoamericano entre os novos consultores do Pontíficio Conselho para as Comunicações Sociais (PCCS). O nome dos novos menbros e consultores do Pontíficio Conselho foram apresentados nesta quinta-feira na Sala de Imprensa da Santa Sé. view

Susana Núñes atualmente coordena um “Master” com a Unviersidade de Salamanca, é consultora em Comunicação do grupo CMB, é diretora da Coleção sobre Interculturalidade Huanacauri da Editora La Crujía; é membro do comitê científico “Windows on our Worlds” e intelectual. Além disso, é também professora convidada da Universidade Unigre sobre intelectualidade, diversidades e resolução de conflitos e é docente universitária no Celam.

Ela obteve doutorado em Ciências Sociais na Unviersidade Gregoriana de Roma com especialização em Comunicação Social. É analista em Comunicação Social na Unviersidade de Salvador, em Buenos Aires.

Fez seus estudos de Pós Graduação na Pontifícia Univesidade Lateranense em Roma, na Univesidade de Salvador, em Buenos Aires, na Unviesidade de Lyon, na França e no Instituto Latinoamericano de Pedagogia da Comunicação na Costa Rica, no Centro de Indagação e Expressão Cultural e Artística do Chile e com a Unesco.

São nove os membros do PCCS. Os cardeais: o Arcebispo de Zagreb, Dom Josip Bozanic, o Arcebispo de Bombay, Dom Oswald Gracias, o Arcebispo de Nairobi, Dom John Njue e Dom Laurent Monsengwo Pasynia, Arcebispo de Kinshasa. Os bispos: Dom Timothy Michael Dolan, arcebispo de Nova York; Dom Mark Benedict Coleridge, Arcebispo de Camberra; Dom Salvatore Fisichella, Presidente do Pontificio Conselho para a Promoção da Nova Evangelização; Dom Manuel José Macário do Nasimento Clemente, Bispo do Porto; Dom Joseph Befe Ateba, Bispo de Kribi e Dom Barthélemy Adoukonou, Secretário do Pontificio Conselho da Cultura.

Os novos consultores do PCCS são os sacerdotes: Antonino Spadaro, diretor da revista “La Civiltà Cattolica”; Eric Salobir, assistente geral da Ordem dos Predicadores para as Comunicações Sociais; Augustine Savarimuthu, diretor do Centro Interdisciplinar sobre as Comunicações Sociais da Pontificia Universidade Gregoriana. Irmã Dominica Dipio, professora associada da Cátedra de Literatura na Universidade Makerere de Kampala.

Ainda compõe o quadro de consultores os leigos: Dr. Antonio Preziosi, diretor do “Giornale Radio Rai” e da “Rai Radio Uno”; Dr. Erminio Fragassa, presidente e administrador delegado da “MicroMegas Comunicazione”; Dr. Marco Tarquinio, diretor responsável do jornal da Conferência Episcopal Italiana “Avvenire”; Dr. Paul Wuthe, secretário da Comissão de Mídias da Conferência Episcopal Austríaca; Dr. Greg Erlandson, presidente da “Catholic Press Association” e o professor Giovanni Maria Vian, diretor do “L’Osservatore Romano”. (LB)

A Conferência Episcopal Espanhola lança edição popular da Bíblia

Madri (Gaudium Press) A Conferência Episcopal Espanhola (CEE), com o objetivo de que as Sagradas Escrituras cheguem de maneira mais fácil até os lares, paróquias, colégios, universidades, centros de pastoral e comunidades religiosas da Espanha, apresentou a edição popular ou “Minor” do texto bíblico, mais acessível e econômico para os fiéis espanhóis. biblia

A apresentação teve lugar um ano depois da publicação da “A Sagrada Bíblia. Versão Oficial da Conferencia Episcopal Espanhola”, texto bíblico que “respondeu o desejo de contar com um instrumento comum de referencia para o trabalho evangelizador da Igreja”, segundo explica a CEE em comunicado emitido pela Sala de Imprensa do organismo eclesiástico.

A edição popular, editada e publicada pela Biblioteca de Autores Cristãos (BAC) -a mesma que publicou a versão típica e  oficial da Bíblia há um ano- contém a tradução dos textos originais, também introduções a livros com versões mais abreviadas tomando como base as que foram redigidas para a versão típica oficial , notas complementares de carácter histórico, teológico e literário, mapas históricos e um índice litúrgico para as leituras das missas do ano.

“Trata-se de um formato reduzido, com o  que se pretende divulgar o texto íntegro da Bíblia em um formato mais cômodo e  facilitar que a piedade popular siga encontrando nas palavras das Sagradas Escrituras uma fonte inesgotável de inspiração”, diz o comunicado da Sala de Imprensa da CEE.

Esta edição popular, como explicou o Padre Carlos Granados, Diretor da BAC, faz parte de um projeto de publicações que saem proximamente, no qual se fará uma publicação do texto bíblico em rústica, outra em plástico com uma capa mais flexível, flexible, para uso escolar, assim como adaptações diversas para as crianças, para utilizá-las na catequese, para a Hispano-America e uma versão informática, entre outras.

Para Mons. Juan Antonio Martínez Camino, Secretário do Episcopado Espanhol, esta nova publicação “poderá aproximar mais o texto das Sagradas Escrituras à vida de todos os fiéis e de todos os leitores de língua espanhola”.

Arcebispo de Belém anuncia o tema do Círio de Nazaré 2012

Belém (Gaudium Press) “Ao Pai, por Cristo, no Espírito Santo, com Maria e do jeito de Maria”, este será o tema do Círio de Nazaré 2012. O anúncio foi feito no início desta semana pelo arcebispo de Belém, no Pará, Dom Alberto Taveira Corrêa.Dom-Alberto-Taveira-Corrêa

Sobre a escolha do tema, Dom Taveira afirmou que o Círio do próximo quer glorificar a a Trindade Santíssima, com a Virgem Maria. “Aquela que é a Virgem Fiel nos ajudará a viver a lei de Deus com alegria”, salientou.

Na ocasião do anúncio, o prelado explicou ainda que a vivência autêntica dos mandamentos começa no amor do próprio Deus, que ama o seu povo. “Só na resposta a este amor nascerá uma prática adequada da lei de Deus. Maria deu sua resposta a Deus, disse seu sim ao próximo e percorreu o caminho da fidelidade à lei”, afirmou.

Ano da Fé
A novidade do próximo Círio fica por conta do Ano da Fé, atividade proclamada peplo Papa Bento XVI este ano pelo Papa Bento XVI e que começará no dia 11 de outubro de 2012. Segundo informações da Arquidiocese de Belém, o Círio, que terá início no dia 9 de outubro. (BD).

Salvador recebe amanhã os símbolos da JMJ

Salvador (Gaudium Press) A partir de amanhã, o estado da Bahia, será a anfitriã dos símbolos oficiais da Jornada Mundial da Juventude; A Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora. A chegada está sendo aguardada com ansiedade por toda a Arquidiocese.WYD

A programação começa com uma carreata na cidade de Salinas da Margarida, a 250 km da capital, às 11h do sábado. A primeira parada será em Itaparica, onde haverá a Celebração Eucarística presidida pelo Bispo Auxiliar de Salvador, Dom Gilson Andrade da Silva, que viaja com as peças para a cidade de Cruz das Almas onde presidirá outra Santa Missa encerrando a programação pelo Recôncavo Baiano.

A chegada a capital baiana está marcada para às 5h30 do domingo. Segundo os organizadores, os fiéis terão o primeiro contato com as peças na entrada do bairro de Valéria, na BR-324. Do bairro, todos seguem em carreata ao Santuário de Irmã Dulce, localizado na Cidade Baixa. No local, será iniciada uma caminhada às 7h30 com destino à Igreja do Senhor do Bonfim.

Às 9h, o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, preside a missa. A cruz e o ícone ficam no templo para apreciação até as 13h.

Na segunda-feira, os símbolos visitam a Fundac (Fundação da Criança e do Adolescente e na Penitenciária Lemos Brito), no bairro de Mata Escura. De lá, serão levados para a Diocese da cidade de Camaçari, situada na Região Metropolitana da capital.

Vaticano confirma visita de Bento XVI ao Rio

Rio de Janeiro (Quarta feira, 14-12-2011 – Gaudium Press) O Vaticano confirmou a data da visita do Papa Bento XVI ao Rio de Janeiro, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio 2013. Deverá ser entre os dias 23 e 28 de julho de 2013, quando na cidade maravilhosa estarão reunidos jovens de todo o mundo. view

A data oficial foi decidida durante a reunião entre o Pontifício Conselho para os Leigos (PCL), que é o Comitê Organizador Central da Jornada, e a comissão do Comitê Organizador Local (COL) do Rio, que  se encontra em Roma.

Em Roma estão sendo tratadas questões como a escolha da logomarca da JMJ Rio2013. Um concurso foi realizado para a escolha do símbolo oficial e mobilizou pessoas de todo o Brasil e de outros países que enviaram seus trabalhos ao COL. Os melhores desenhos foram selecionados e levados pela Comissão ao PCL, que escolheu a logo finalista. Segundo Dom Orani João Tempesta, em breve será anunciada a data para apresentação oficial da logo.

Participam do COL o presidente da comissão e arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta, os dois bispos auxiliares que estão acompanhando mais diretamente a preparação da JMJ-2013, dom Antônio Augusto Dias Duarte e dom Paulo Cezar Costa. Ainda fazem parte do COL  da Jornada o monsenhor Joel Portella Amado, da coordenação geral, e os padres Márcio Queiroz, responsável pela Comunicação, e Renato Martins, responsável pelos Atos Centrais.
A comissão retorna ao Rio hoje.

Com informações da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Novo bispo auxiliar para a diocese de Haarlem-Amsterdam

Amsterdam (Quarta-feira, 14-12-2011 – Gaudium Press) Monsenhor J.W.M. Hendriks foi nomeado recentemente por Bento XVI como bispo auxiliar da diocese de Haarlem-Amsterdam. Dom Hendriks substitui Monsenhor J.G.M. van Burgsteden, SSS, que atingiu o limite de idade. Até esta data o recém-nomeado exercia a função de reitor do seminário diocesano De Tiltenberg.

photo 4 today

A ordenação episcopal do novo bispo ocorreu no último dia 10. Teve como celebrante o bispo titular da diocese, Mons. J.M. Punt, e como concelebrantes: o bispo de Rotterdam, mons. J.H.J. van den Hende; Mons. François Bacqué, núncio apostólico; o Cardeal Adrianus Simonis (emérito de Utrecht); e Mons. W.J. Eijk, arcebispo de Utrecht.

A catedral de Haarlem encontra-se em obras de reparos e isso deu oportunidade para que a cerimônia fosse realizada na magnífica igreja de São Vito, em Hilversum. A parte musical esteve aos cuidados do coro da catedral de São Bavo, da Scuola Cantorum do seminario de Vogelenzang e a parte instrumental ficou a cargo da De Bishop´s Brass.

O brazão de dom J.W.M. Hendriks terá como dístico as palavras de Nossa Senhora nas bodas de Caná: Quodcumque Dixerit Vobis Facite. Fazei o que Ele vos disser.

Database: Artigos Acadêmicos publicados na Revista Lumen Veritatis

Autor

Título do artigo

N.º

Ano

Tipo

Benedito Beni dos Santos Religião e Moral

1

2007-1

Artigo Acadêmico
João Scognamiglio Clá Dias, EP Por que ser tomista?

1

2007-1

Artigo Acadêmico
José Adriano A razoabilidade da fé: São Tomás e a Escolástica

1

2007-1

Artigo Acadêmico
Piero Amenta A discricionariedade do juiz canônico e a tutela dos direitos do fiel cristão

1

2007-1

Artigo Acadêmico
Segundo Pérez López Aproximación al contexto de la Teología de la Gracia en Santo Tomás

1

2007-1

Artigo Acadêmico
Marcelo Pereira de Andrade O De Trinitate de Santo Agostinho: alguns detalhes circunstanciais

1

2007-1

Artigo Acadêmico
M. de la Taille Valor del sacrificio de la Misa

1

2007-1

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto Contribuições de São Tomás ao estudo das emoções

1

2007-1

Artigo Acadêmico
Joseph Ratzinger – Bento XVI Jesus de Nazaré

1

2007-1

Resenha
Giuseppe Sciacca Matrimonium et Ius

2

2008-2

Artigo Acadêmico
João Scognamiglio Clá Dias, EP Lumen Veritatis

2

2008-2

Artigo Acadêmico
José Antonio Sayes El tema del alma en el Catecismo de la Iglesia Católica

2

2008-2

Artigo Acadêmico
Marcelo Pereira de Andrade A necessidade das species Uma breve reflexão acerca da teoria do conhecimento das coisas no De Trinitate X de Santo Agostinho

2

2008-2

Artigo Acadêmico
Guy Gabriel de Ridder O conhecimento da alma separada do corpo

2

2008-2

Artigo Acadêmico
Carlos Augusto Garcia Picanço A alma é a forma do corpo

2

2008-2

Artigo Acadêmico
Santiago M. Ramírez Introdução ao Tratado da Fé Divina

2

2008-2

Tradução
São Tomás de Aquino Se o homem pode ou não preparar-se para a graça quando se está privado desta

2

2008-2

Tradução
Robert Audi Dicionário de Filosofia de Cambridge

2

2008-2

Resenha
Heinrich Denzinger Compêndio dos símbolos, definições e declarações de fé e moral

2

2008-2

Resenha
Raúl Berzosa Martínez Algunas anotaciones  sobre la Historia de la Teología Con especial detenimiento en Santo Tomás de Aquino

3

2008-2

Artigo Acadêmico
Bruno Esposito, O.P. Codice di Diritto Canonico latino e Diritto Internazionale

3

2008-2

Artigo Acadêmico
Edson Oriolo Os componentes da Filosofia estóica

3

2008-2

Artigo Acadêmico
Marcelo Pereira de Andrade O problema da cultura nos Escritos Filosóficos III de Henrique Vaz

3

2008-2

Artigo Acadêmico
Réginald Garrigou-Lagrange A síntese tomista

3

2008-2

Tradução
Étienne Gilson Introdução ao estudo de Santo Agostinho

3

2008-2

Resenha
João Scognamiglio Clá Dias, EP Quando fé e razão se osculam…

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Charles Morerod A beleza na Teologia de Joseph Ratzinger

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Pedro Rodolfo Fernandes da Silva O preceito délfico no século XII e no scito te ipsum

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Eduardo Vadillo Sugerencias tomistas para abordar la cuestión de la evolución

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Marcelo Pereira de Andrade O acesso à verdade em Platão

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Juan Carlos Casté A Sucessão Apostólica na Teologia da Ordem Sagrada

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Álvaro Mejía Londoño Natureza, particularidade e finalidade do matrimônio cristão

4

2008-2

Artigo Acadêmico
François Bandet Do problema do homem ao problema de Deus segundo Juan Alfaro

4

2008-2

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto Metodologia tomista no estudoda Psicologia

4

2008-2

Artigo Acadêmico
São Tomás de Aquino De unitate intellectus contra averroístas

4

2008-2

Tradução
Norman Kretzmann e Eleonore Stump The Cambridge Companion to Aquinas

4

2008-2

Resenha
José Adriano Aportes sobre ética cristã

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Leonardo Rodríguez Duplá Esperanza y progreso: Reflexiones sobre la encíclica Spe Salvi

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Miroslav Adam Il pensiero di san Tommaso e l’attuale prassi della concelebrazione

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Inácio de Araújo Almeida A contemplação no ensino de São Tomás

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Marcelo Pereira de Andrade A concepção agostiniana de Mens

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Carlos Augusto Garcia Picanço Em que momento a alma espiritual é infundida no ser em gestação?

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto Determinismo, indeterminismo ou subjetividade?

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Francisco Berrizbeitia Hernandez Teologia e Antropologia na Gaudium et Spes “O Filho de Deus uniu-se de certo modo a cada homem”

5

2009-3

Artigo Acadêmico
Romanus Cessario O que os anjos vêem: natureza e graça

5

2009-3

Artigo Acadêmico
João Scognamiglio Clá Dias, EP Os novos movimentos: Quando espírito e jurisprudência se encontram…

6

2009-3

Artigo Acadêmico
Mauro Mantovani Alguns aspectos mounierianos a respeito do “novo humanismo” numa sociedade multirreligiosa

6

2009-3

Artigo Acadêmico
José Rico Pavés El encuentro del logos cristiano con la cultura helenística

6

2009-3

Artigo Acadêmico
François Bandet Estará a ciência oposta à Fé?

6

2009-3

Artigo Acadêmico
Simone Cristine Araújo Lopes Apontamentos legais de bioética e dadoutrina católica sobre a ortotanásia

6

2009-3

Artigo Acadêmico
Inácio de Araújo Almeida O conceito de inveja na perspectiva tomista

6

2009-3

Artigo Acadêmico
Pontifício Conselho da Cultura A Via Pulchritudinis – Caminho privilegiado de evangelização e de diálogo

6

2009-3

Artigo Acadêmico
Salvador Pié-Ninot O Laicato: Os cristãos leigos, Igreja no mundo

7

2009-3

Artigo Acadêmico
José Manuel Jiménez Aleixandre Como regular a presença  dos religiosos nos movimentos

7

2009-3

Artigo Acadêmico
Mauro Mantovani Tomás de Aquino: Sabedoria e caridade na procura de Deus

7

2009-3

Artigo Acadêmico
Francisco de Barros Barbosa, SJC Nobreza do homem em Tomás de Aquino

7

2009-3

Artigo Acadêmico
Joan B. Martínez Porcell El pensamiento filosófico de Juan Pablo II

7

2009-3

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto Aportes da psicologia tomista ao estudo da atenção

7

2009-3

Artigo Acadêmico
Angela Maria Tomé O conhecimento simbólico na transmissão da verdade

7

2009-3

Artigo Acadêmico
Jacques Balmès A razão não é o único meio de obter a verdade

7

2009-3

Tradução
Marco Zingano Sobre a Metafísica de Aristóteles

7

2009-3

Resenha
João Scognamiglio Clá Dias, EP A santidade do sacerdote, à luz de São Tomás de Aquino

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Luis Fernando Fernández Ochoa La Vocación: Conquista de Cada Día

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Edson Oriolo A teoria do movimento em Aristóteles

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Marcelo Pereira de Andrade A teologia do Verbo em Santo Agostinho

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto Um enfoque tomista sobre a psicologiada opinião pública

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Dartagnan Alves de Oliveira Souza Pulchrum Caminho para o Absoluto?

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Rafael Llano Cifuentes Fé e razão

8

2009-3

Artigo Acadêmico
José Mateos y García de Paredes, OP La Palabra de Dios

8

2009-3

Artigo Acadêmico
Jonathan Barnes (org.) Aristóteles

8

2009-3

Resenha
Cláudio Hummes, OFM Renova nos seus corações o espírito de santidade

9

2010-4

Artigo Acadêmico
João Scognamiglio Clá Dias, EP O sacerdócio de Cristo e o ministerial

9

2010-4

Artigo Acadêmico
Thiago de Oliveira Geraldo O sacerdócio levítico no contexto histórico-bíblico

9

2010-4

Artigo Acadêmico
Carlos Adriano Santos dos Reis, EP Um estudo jurídico sobre Os atuais responsáveis pela formação doutrinal dos candidatos ao sacerdócio

9

2010-4

Artigo Acadêmico
José Saraiva Martins, CMF O sacerdócio hoje: Algumas reflexões teológico-pastorais

9

2010-4

Artigo Acadêmico
Corentin Le Grand O ensinamento da Suma Teológica nos Seminários

9

2010-4

Artigo Acadêmico
José Saraiva Martins, CMF Il sacerdozio in S. Tommaso d’Acquino

9

2010-4

Artigo Acadêmico
João Scognamiglio Clá Dias, EP Beleza e Sublimidade Clave teológica da Nova Evangelização

10

2010-4

Artigo Acadêmico
Paulo Martos Esplendor do bom e do verdadeiro

10

2010-4

Artigo Acadêmico
Maria Cecília Seraidarian O Pulchrum Porta da mística

10

2010-4

Artigo Acadêmico
Vinícius Sabino Gomes Gótico, a Escolástica de pedra

10

2010-4

Artigo Acadêmico
Felipe de Azevedo Ramos, EP Da criatura ao Criador Uma análise da quarta via e seu confronto com a Via Puchritudinis

10

2010-4

Artigo Acadêmico
Pontifício Conselho da Cultura Via Pulchritudinis O Caminho da Beleza

10

2010-4

Resenha
Cláudio Pastro O Deus da beleza A educação através da beleza

10

2010-4

Resenha
João Scognamiglio Clá Dias, EP Os carismas e as instituições jurídicas A Graça e a Lei enquanto realidades harmônicas

11

2010-4

Artigo Acadêmico
Pietro Amenta Pessoa, relações interpessoais e relação conjugal no pensamento de Antonio Rosmini

11

2010-4

Artigo Acadêmico
Bruno Esposito, O.P. O direito internacional entre passado e futuro Uma proposta concreta para sua evolução

11

2010-4

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto O processo psicológico de formação de certezas e as decisões ético-jurídicas

11

2010-4

Artigo Acadêmico
Carlos Adriano Santos dos Reis, EP Bento XVI decreta enriquecedoras precisões ao Código de Direito Canônico

11

2010-4

Artigo Acadêmico
Hugo da Silva Cavalcante, OSB A Legislação Universal Extracodicial do Código de Direito Canônico

11

2010-4

Resenha
João Scognamiglio Clá Dias, EP O primeiro olhar da inteligência

12

2010-4

Artigo Acadêmico
Edson Oriolo As estruturas fundamentais do homem segundo Lima Vaz

12

2010-4

Artigo Acadêmico
Celestino Carrodeguas Nieto El concepto de persona a la luz del Vaticano II

12

2010-4

Artigo Acadêmico
Jorge Filipe Teixeira Lopes, EP Natureza humana e lei natural face ao direito moderno Um ensaio sobre os Direitos Humanos à luz de São Tomás de Aquino

12

2010-4

Artigo Acadêmico
Antônio Chaves Sobrinho O hilemorfismo aristotélico e seus reflexos em São Tomás As relações dos homens com Deus e entre si

12

2010-4

Artigo Acadêmico
Lamartine de Hollanda Cavalcanti Neto Aplicações da Psicologia Tomista à Psicologia Pastoral quanto ao governo das emoções

12

2010-4

Artigo Acadêmico
São Tomás de Aquino Rigans Montes

12

2010-4

Tradução
João Scognamiglio Clá Dias, EP Os princípios da ação moral Caminho seguro para chegar à Santidade

13

2011-5

Artigo Acadêmico
Leopoldo Werner Benjumea, EP Os fundamentos da lei natural e sua correlação com a lei positiva

13

2011-5

Artigo Acadêmico
José Victorino de Andrade, EP A caridade enquanto fundamento da lei e da justiça, via mestra da Igreja, luz para todas as sociedades

13

2011-5

Artigo Acadêmico
Thiago de Oliveira Geraldo Análise filosófico-teológica do conceito de ato humano em São Tomás de Aquino

13

2011-5

Artigo Acadêmico
Liliana Beatriz Irizar El influjo de la afectividad virtuosa en el conocimiento de la verdad práctica

13

2011-5

Artigo Acadêmico
Juliane Vasconcelos Almeida Campos, EP Resgate da Metafísica: uma resposta ao relativismo moral contemporâeno?

13

2011-5

Artigo Acadêmico
Paulo Faitanin A dignidade do homem A antropologia filosófica de Santo Tomás de Aquino

13

2011-5

Tradução
João Scognamiglio Clá Dias, EP Beleza e Nova Evangelização

14

2011-5

Artigo Acadêmico
Francisco Berrizbeitia Hernandez La belleza como “locis theologico” Hans Urs von Balthasar y la recuperación de la belleza en la teología del siglo XX

14

2011-5

Artigo Acadêmico
Vanderson Meirelles A Beleza que salva

14

2011-5

Artigo Acadêmico
Juliane Vasconcelos Almeida Campos, EP Pulchrum: o encontro com a transcendência absoluta em nossos dias

14

2011-5

Artigo Acadêmico
Monica Erin MacDonald, EP The Liturgical experience: beauty and transcendence

14

2011-5

Artigo Acadêmico
Edgar de Bruyne A Estética da Idade Média

14

2011-5

Tradução
Maria Elizabeth Reicher Introdução à estética filosófica

14

2011-5

Resenha
Benedito Beni dos Santos Verbum Domini

15

2011-5

Artigo Acadêmico
Santiago Ignacio Morazzani Arráiz, EP María, un corazón dócil ante la palabra de Dios: modelo esplendoroso de la contemplación (Lc 2, 41-52)

15

2011-5

Artigo Acadêmico
Thiago de Oliveira Geraldo O significado de perfeição no contexto de Mateus (5, 48)

15

2011-5

Artigo Acadêmico
Juan Donoso Cortés Discurso Acadêmico sobre a Bíblia

15

2011-5

Tradução
São Tomás de Aquino Este é o livro dos mandamentos de Deus

15

2011-5

Tradução
J. Ratzinger / Bento XVI Jesus de Nazaré: Da entrada em Jerusalém até a Ressurreição

15

2011-5

Resenha
Hamilton José Naville El silencio que habla

16

2011-5

Artigo Acadêmico
Felipe de Azevedo Ramos, EP A linguagem na ordem do universo segundo São Tomás de Aquino

16

2011-5

Artigo Acadêmico
Giulia Lombardi Un sapiente che ascolti è ancora più sapiente: Parola e ascolto Incontro impossibile tra Papa Benedett o XVI e gli antichi intorno al valore di perfezionamento umano della t

16

2011-5

Artigo Acadêmico
Alessandro Salucci, OP Notas sobre Wittgenstein, São Tomás de Aquino e o “Mentalismo”

16

2011-5

Artigo Acadêmico
São Tomás de Aquino Excerto dos Comentários à Política de Aristóteles: Livro I

16

2011-5

Tradução
João Scognamiglio Clá Dias, EP Arautos do Evangelho: carisma,  espiritualidade e finalidade

17

2011-5

Artigo Acadêmico
Carlos Javier Werner Benjumea, EP O carisma dos Arautos do Evangelho e a perspectiva moral do seguimento de Cristo

17

2011-5

Artigo Acadêmico
Juan Pablo Merizalde Escallón, EP A formação da reta consciência no projeto educacional dos Arautos do Evangelho

17

2011-5

Artigo Acadêmico
São Tomás de Aquino Contra retrahentes, Capítulo III Sobre a admissão de jovens na vida religiosa

17

2011-5

Artigo Acadêmico
Donald S. Prudlo The Origin, Development and Refinement of Medieval Religious Mendicancies

17

2011-5

Artigo Acadêmico

MENSAGEM DO PREFEITO DA CONGREGAÇÃO PARA O CLERO O CARDEAL MAURO PIACENZA POR OCASIÃO DO ADVENTO / 2011

congregatio

Reverendos e estimados Sacerdotes,

Neste especial Tempo de graça, Maria Santíssima, Ícone e Modelo da Igreja, deseja introduzir-nos naquela que é a constante atitude do seu Coração Imaculado: a vigilância.

De fato, é na vigilância orante que a Virgem constantemente viveu. Na vigilância recebeu o Anúncio que transformou a história da humanidade. Na vigilância guardou e contemplou, mais do que qualquer outro, o Altíssimo que se fazia seu Filho. Na vigilância, informada por um amoroso e grato estupor, deu à luz a própria Luz e, juntamente com São José, fez-se discípula Daquele que dela nasceu, adorado pelos pastores e sábios, acolhido com exultação pelo velho Simeão e pela profetiza Ana, temido pelos doutores do templo, amado e seguido pelos discípulos, hostilizado e condenado pelo Seu povo. Na vigilância do seu Coração materno, seguiu a Cristo Jesus até a Cruz, onde, na imensa dor do seu coração traspassado, acolheu-nos a todos como seus novos filhos. Na vigilância esperou com firmeza a Ressurreição e foi assunta aos Céus.

Caríssimos amigos, Cristo guarda incessantemente a sua Igreja e a cada um de nós! A Santíssima Mãe de Jesus e nossa é constantemente vigilante e nos guarda! A atitude de vigilância à qual o Senhor nos chama é aquela apaixonada observação do real, que nos conduz a duas direções fundamentais: a memória do nosso encontro com Cristo e do grande mistério de sermos Seus sacerdotes, e a abertura à “categoria da possibilidade”.

De fato, a Virgem Maria “fazia memória”, ou seja, continuamente revivia no seu coração, o quanto Deus operou no seu ser e, na certeza desta realidade, vivia o ministério de ser Mãe do Altíssimo. O Coração Imaculado de Maria era constantemente disponível e aberto ao “possível”, a concretização da amorosa Vontade de Deus nas circunstâncias quotidianas e nas mais inesperadas. Também hoje, do Céu, a Virgem Maria guarda-nos na memória viva de Cristo e nos abre de par em par à possibilidade da divina Misericórdia.

Queridos irmãos, peçamos a Ela que nos dê um coração que seja capaz de reviver o Advento de Cristo na nossa própria vida, que seja capaz de contemplar o modo em que o Filho de Deus, no dia da nossa ordenação, de forma radical e definitiva, marcou toda a nossa existência, imergindo-a no Seu Coração sacerdotal, e como Ele nos renova quotidianamente, na Celebração Eucarística, transfiguração da nossa vida no Advento de Cristo pela humanidade.

Enfim, peçamos um coração atento e capaz de reconhecer os sinais do Advento de Jesus na vida de cada homem e, de modo particular, na vida dos jovens a nós confiados: os sinais daquele especialíssimo Advento, que é a Vocação ao sacerdócio.

A Bem-Aventurada Virgem Maria, Mãe dos Sacerdotes e Rainha dos Apóstolos, obtenha àqueles que lhe pedem humildemente, a paternidade sacerdotal necessária para acompanhar os jovens no alegre e entusiasmante seguimento de Cristo.

No “sim” da Anunciação somos encorajados à coerência com o “sim” da nossa ordenação. Na visita a Santa Isabel somos chamados a viver a intimidade divina para levar a presença aos demais e para traduzi-la num jubiloso serviço sem limites de tempo e de lugar. Ao contemplar a Santíssima Mãe que envolve em faixas o Menino Jesus, e O adora, aprendemos a tratar com inefável amor a Santíssima Eucaristia. Ao “guardar tudo no próprio coração”, aprendemos de Maria a dirigirmo-nos ao Único necessário.

Com estes sentimentos, asseguro a todos os caríssimos Sacerdotes, em todo o mundo, uma especial recordação na Celebração dos Santos Mistérios, e a cada um peço um “apoio orante” para o ministério que me foi confiado, implorando ao Senhor, diante do presépio, que nos ajude a tornarmo-nos, a cada dia, aquilo que somos!

Papa Bento XVI nomeia novo bispo para Guajará-Mirim, em Rondônia

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 09-12-2011, Gaudium Press) O Papa Bento XVI nomeou nesta sexta-feira, 09, um novo bispo para a Diocese de Guajará-Mirim, no estado de Rondônia. Dom Benedito Araújo, que até o momento era coadjutor desta mesma diocese, irá substituir Dom Geral Verdier, que após 31 anos à frente da circunscrição eclesial, pediu sua renúncia em conformidade com o Cânone 401 § 2 do Código de Direito Canônico.

todayNatural de Paço do Lumiar, no Maranhão, Dom Benedito tem 49 anos de idade. Ordenado sacerdote em 17 de novembro de 1991, pela Arquidiocese de São Luís do Maranhão, Dom Benedito foi somente padre por cerca de 20 anos, até ser nomeado bispo coadjutor para Diocese de Guajará-Mirim, em 23 de março de 2011. Dom Benedito recebeu sua ordenação episcopal em 4 de junho também deste ano.

O parágrafo 2 do Cânone 410 indica como motivos para a renúncia de um bispo uma enfermidade ou outra razão que impeça o cumprimento de seu ofício.

Com informações da Rádio Vaticano.

Arquidiocese de Salvador divulga programação da visita dos símbolos da JMJ pelo estado da Bahia

cruz-peregrina

Salvador (Sexta-feira, 09-12-2011, Gaudium Press) A Arquidiocese de Salvador, na Bahia, divulgou ontem a programação do seu “Bote Fé”, evento que recepciona a cruz peregrina e ícone de Nossa Senhora, símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), nas dioceses do Brasil. No estado baiano, a cerimônia acontecerá entre os dias 17 e 19 de dezembro, com a participação de diversos movimentos pastorais e instituições.

O “Bote Fé” baiano se iniciará na Ilha de Salinas na manhã do dia 17 de dezembro. Da entrada da Ilha, a cruz e o ícone partirão em carreata pelas ruas da cidade. No período vespertino, os símbolos estarão na Ilha de Itaparica, onde será celebrada uma santa missa pelo bispo auxiliar de Salvador, Dom Gilson Andrade. Já à noite, os símbolos estarão no município de Cruz das Almas, onde Dom Gilson novamente celebrará uma missa.

O segundo dia de peregrinação da cruz e do ícone de Nossa Senhora pela Bahia começará na BR 324 (Km 613), entrada do município de Valéria. De madrugada, os peregrinos partirão em carreata até o Santuário de Irmã Dulce, em Salvador. De lá, haverá caminhada até o Santuário do Senhor do Bonfim. Neste local, ainda pela manhã, o arcebispo de Salvador, Dom Murilo Krieger, presidirá uma celebração eucarística em honra aos símbolos, que ficarão no Bonfim para visitação até o início da tarde.

Ainda neste dia, no período da tarde, a cruz e ícone de Nossa Senhora serão recepcionados por milhares de fiéis no tradicional bairro do Campo Grande. Lá, haverá caminhada até a Praça Municipal, seguida de show musicais.

O encerramento da visita dos símbolos por Salvador se dará por meio de uma visita da Pastoral da Juventude de Salvador a jovens carentes e excluídos. Segundo o secretário arquidiocesano do Setor Juventude de Salvador, Marcos Felipe Fonseca, na ocasião a cruz visitará pela Fundação da da Criança e do Adolescente Tancredo Neves (Fundac), e também por uma penitenciária (Mata Escura).

Sobre a realização do “Bote Fé” pela Arquidiocese de Salvador, o secretário declarou que todos podem esperar deste evento muito ânimo, muita fé e, sobretudo, muita esperança na juventude. “Salvador também quer fazer ecoar a sua voz que diz, 1eu acredito na Juventude’, disse.

Com informações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).