Instituto filosófico e Teológico dos Arautos do Evangelho ITTA – IFAT

Instituto Teológico São Tomás de Aquino

Instituto filosófico e Teológico dos Arautos do Evangelho  ITTA – IFAT - Instituto Teológico São Tomás de Aquino

Arcebispo de Sydney premeia estudantes católicos

O Arcebispo de Sydney, Cardeal Dom George Pell, prestou homenagem a quarenta e oito estudantes do último ano de ginásio dos colégios católicos de Sidney.

Este prelado outorgou o o Prêmio Arcebispo de Sydney para o melhor Estudante,  que anualmente é concedido aos discentes pelas suas excepcionais contribuições nas respectivas escolas e comunidades.

A prestigiosa cerimônia, que está na sua 14a edição, premeia não apenas a liderança estudantil e o rendimento acadêmico, mas o compromisso com a fé, e serviço na paróquia e na comunidade demostrado durante os seis anos que dura o ensino secundário na ilha continente.

A cerimônia de entrega de prêmios aconteceu na abarrotada catedral de Sydney, dedicada a Santa Maria, na presença de familiares, amigos e professores.

Fonte: Revista Arautos, n. 142


Santo pelas suas virtudes; por ofício, Samurai


Senhor do castelo do Takatsuki, no Japão, Takayama Ukon ou Hikogoro Shigetomo, como também é conhecido, preferiu perder bens e honrarias a renunciar à fé católica. Por isso é conhecido como “O Samurai de Cristo”.

Em agosto, a Conferência de Bispos Católicos do Japão encaminhou à Congregação para as Causas dos Santos, na Santa Sé, todos os documentos e relatórios referentes à vida deste kirishitan daimyo (Grande Senhor Cristão).Ele  nasceu em 1552 em Haibara-cho, Nara, e morreu em Manila, nas Filipinas no dia 4 de fevereiro de 1615.

Takayama foi batizado aos doze anos com o nome de Iustus, quando seu pai se converteu ao catolicismo, e muitos conhecidos e amigos seguiram seu exemplo. No ano 1587 os missionários foram expulsos do Japão e uma grande perseguição teve início naquele ano.

Não foram poucos os senhores convertidos  que renegaram a fé para não perder seus títulos e terras. Não porém Takayama e seu pai, os quais, com a proibição definitiva contra a fé católica em 1614, exilaram-se nas Filipinas, junto com outros 300 batizados.

Aí viveu apenas 40 dias, morrendo aos 63 anos de idade e recebendo as honras militares devidas à sua dignidade. Este poderá ser  o primeiro santo japonês canonizado individualmente: os outros 42 santos e 393 beatos japoneses têm suas memórias celebradas em conjunto.

O árduo caminho de Takayama rumo aos altares começou com uma solicitação do clero das Filipinas pedindo sua beatificação no século XVII. “Takayama nunca foi desorientado pelos que o rodeavam. De maneira persistente viveu uma vida na qual seguiu sua consciência…

Levou sua vida de forma apropriada para um santo e continua inspirando valor a muitas pessoas ainda hoje”, declarou o Padre Hiroaki Kawamura, diretor da comissão diocesana para o processo, o qual, na esperança dos Bispos, poderia ser concluído em 2015, no quarto centenário do falecimento do Samurai de Cristo.

Fonte: Revista Arautos do Evangelho n. 142.


Ucrânia renova seus “votos batismais”

Faz 1.025 anos, o Grão Príncipe de Kiev, São Vladimir batizou-se junto com tal quantidade de súditos, que a cerimônia é considerada como o batismo de toda uma nação.

O Principado de Kiev deu posteriormente origem à atual Ucrânia e Rússia.

A hierarquia católica ucraniana renovou no domingo 28 de julho, os votos batismais, em comemoração a grande data. Sua Beatitude, o Arcebispo Maior de Kiev-Galitzia e toda Rússia, da Igreja Greco-Católica Ucraniana, Dom Sviatoslav Shevchuk explicou o simbolismo do fato: “Precisamos lembrar e renovar nossos votos do batismo… Seu significado permanece o mesmo – libertar-nos de qualquer vínculo de escravidão, que tenha sido imposto à raça humana pelo demônio desde nosso ancestral Adão, e portar as vestes batismais da liberdade e do amor, que são as brilhantes vestes do Cristo ressuscitado”.

Dom Sviatoslav, é o hierarca do maior rito oriental católico, e espera que a renovação dos votos “restaure nossa fidelidade a Cristo, como única fonte de vida para o povo ucraniano” e “solidifique nossa união religiosa e nacional”.

No dia 28, Dom Sviatoslav também concedeu entrevista à televisão afirmando que “Muita gente na Ucrânia segue procurando a Deus, como aconteceu nos dias do Príncipe Vladimir, porém, não o encontraram. Estão esperando as palavras do Evangelho de Cristo”.

Também no dia 4 de Agosto, com a presença do Núncio Apostólico, Dom Thomas Edward Gullickson, foi realizada uma procissão e uma eucaristia no monte de São Vladimir.

Fontes:

http://es.wikipedia.org/wiki/Sviatoslav_Shevchuk

http://en.for-ua.com/analytics/2013/07/29/143524.html

http://www.catholicculture.org/news/headlines/index.cfm?storyid=18581

http://www.zenit.org/en/articles/ukraine-marks-1-025-years-of-christianity

http://risu.org.ua/ru/index/all_news/state/national_religious_question/53166/

“Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”

 

   Grande multidão que se reúne. O que será? Um jogo internacional? Talvez uma apresentação de músicas modernas? Não. Então, do que se trata? Qual outro espetáculo é capaz de reunir tamanho contingente de pessoas? Tentemos adivinhar, porém, sem a ninguém perguntar. Apenas analisemos a atitude destas pessoas.

   A primeira impressão que temos é de uma tranquilidade, uma calma, um silêncio… Algo que não se encontra nas cidades de hoje em dia. Alguém poderia dizer que estão tristes, mas não é verdade, pois nota-se uma profunda alegria, estão recolhidos. A felicidade que sentem não se exterioriza numa gargalhada nem num grito histérico, pois eles não procuram parecer felizes perante os outros, eles o são de fato. Onde eles estão? O que fazem? Qual o motivo de tanta alegria e recolhimento? É tão simples que chega a ser caseiro Eles saúdam sua Mãe. Não porém aquela mãe que nos trouxe a este mundo, mas Aquela que nos trouxe a Vida Eterna: a Santíssima Virgem Maria.

Solene coroação da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima

   13 de maio de 2013! Solene festa é realizada na Basílica Nossa Senhora do Rosário. Incontável número de pessoas participa da solene coroação de Nossa Senhora de Fátima e assiste à Santa Missa em louvor à Imaculada. Agredidos pela realidade contemporânea, estes fiéis vêm procurar alento e consolo junto à sua Mãe a fim de terem forças ao enfrentar os sofrimentos neste vale lágrimas, pois sabem que Ela prometeu: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”

   Caravanas provindas do centro de São Paulo, de outros estados brasileiros e de outras nações enchem a Basílica do Rosário, situada na Serra da cantareira. A diversidade de pessoas e de povos parece bem combinar com as harmoniosas cores do recinto sagrado. O incenso que sobe e é iluminado pelas luzes dos vitrais assemelha-se à oração dos fiéis que sobe, por intermédio de Maria, até as alturas, onde está Deus. O intenso perfume das flores, infelizmente, não se compara àquela agradável fragrância exalada pelas almas dos devotos da Virgem. Tudo, enfim, canta um louvor intérmino à Senhora de Fátima.

Um dos peregrinos, arrebatado de encanto, exclamou no final da cerimônia: “Agora eu já posso morrer!” Logo o inquiriram o motivo de tão eloqüente afirmação, ao que ele respondeu: “Depois de me ter confessado, comungado, rezado o terço e estar aqui, eu já posso morrer, pois não falta mais nada!” Uma senhora, notando que todos já se iam retirando, não hesitou em exprimir seu desejo: “A vontade que tenho é de nunca mais sair daqui…” De fato, logo na benção final da Missa,    todos já sentiam saudades. Sem embargo, o mais importante é saber que Nossa Senhora nunca nos abandona, por mais adversa que seja a situação em que nos encontremos. Ela nos acompanha do começo ao fim desta vida, esperando se encontrar conosco nos umbrais da eternidade, introduzindo-nos na corte de seu Filho.

Todos de baixo do manto da Santíssima Virgem

Fim da Missa, os fiéis acorreram aos pés da Imagem que foi coroada para se despedirem. Todos pediam piedosamente uma das flores que tivera a ventura de estar aos pés da Virgem, sobre o andor. Porém, como era de se prever, logo estas se  esgotaram. Tocavam, então, Rosários, fotos e objetos variados na Imagem, pois queriam levar alguma coisa de recordação. Assim, todos voltam satisfeitos às suas casas.

Quão solene foi a cerimônia, mas ao mesmo tempo tão singela! Que júbilo e que tranquilidade! Que curioso contraste! Como pode-se ter sentimentos tão opostos na aparência? É algo difícil de explicar. Somente os filhos de Nossa Senhora podem experimentar a suavidade e a doçura que há em honrá-la e louvá-la. Isto não é nenhuma recriminação a ninguém. Trata-se apenas de um convite: Venha!

 

                        Por fim, o meu Imaculado Coração Triunfará!
                                                               Matheus Massaaki Niwa/ 2º Teologia

Comentários ao Evangelho de domingo por Mons. João Clá: O inédito sobre os Evangelhos

“Encontramos caracterizada com frequência nestas páginas a solução aos problemas espirituais do homem do século XXI”. Com essas palavras, o Cardeal Franc Rodé, CM, do Vaticano, apresenta o livro O inédito sobre os Evangelhos, publicado por Mons. João Clá, Fundador dos Arautos do Evangelho.
A coleção oferece ao leitor um verdadeiro tesouro: os comentários aos Evangelhos de todos os domingos e solenidades do ciclo litúrgico.
Compostas de sete volumes, a coleção permitirá os leitores acompanharem Nosso Senhor Jesus Cristo ao longo de todos os domingos do Ano Litúrgico junto com o fundador dos Arautos do Evangelho.
O lançamento é internacional. Será publicado em quatro línguas (português, espanhol, italiano e inglês).

Vol. V: Domingos do Advento, Natal, Quaresma, Páscoa e Solenidades do Senhor que ocorrem no Tempo Comum (Ano C)

Vol. VI: Domingos do Tempo Comum (Ano C)

Reserve já o seu!

Pedidos pela internet evangelhocomentado.arautos.org
Por telefone (11) 2971-9040

PUC-Rio: Simpósio sobre o pensamento de Joseph Ratzinger começa em novembro

Bento XVI Joseph Ratzinger Benedetto Bededict Bento 16A Fondazione Vaticana Joseph Ratzinger – Benedetto XVI, juntamente com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), através de seu Departamento de Teologia, promoverá nos dias 8 e 9 de novembro de 2012, no Campus da PUC-Rio, o II Simpósio sobre o pensamento de Joseph Ratzinger.

Uma das motivações para a realização do Simpósio n Cidade Maravilhosa é a visita do Papa Bento XVI ao Rio de Janeiro, em virtude da Jornada Mundial da Juventude, em julho de 2013.

A Fondazione Vaticana Joseph Ratzinger – Benedetto XVI, foi criada em 1 de março de 2010, com o escopo de promover o conhecimento e o estudo da teologia, e a premiação de pesquisadores e a organização e a realização de eventos de alto valor cultural e científico.

Tomando como base a indagação sobre “o que faz o ser humano, humano”, o título deste II Simpósio será: Humanização e sentido da vida. Divididos em eixos temáticos e de comunicações: filosófico-teológico; midiático; expressões culturais; sócio-econômico; técnico-científico.

Este Simpósio herda a experiência do primeiro realizado na cidade de Bydgoszcz, na Polônia, nos dias 27 e 28 de outubro de 2011. Um evento dessa natureza constituirá uma possibilidade ímpar para que instituições universitárias ou docentes e discentes em particular compartilharem os resultados de suas pesquisas. Os organizadores do evento estimam reunir reitores de prestigiosas universidades do Brasil e de outros dez países como membros do comitê científico, o qual é presidido pelo Pe. Josafá Carlos de Siqueira, S.J. Reitor da PUC-Rio.

Destaca-se a presença de Dom Orani João Tempesta, Arcebispo de Rio de Janeiro e Mons Giuseppe A. Scotti, Presidente da Fondazione Joseph Ratzinger. Os Arautos do Evangelho estão involucrados na organização do evento.

Para conferir mais detalhes e a programação acesse o link: http://www.simposiopucrio.teo.br/index.htm
Ou clique aqui

Cardeal Zenon Grocholewski celebra Eucaristia de abertura da 24ª Assembleia Geral da Federação Internacional de Universidades Católicas em São Bernardo do Campo

Cardeal Zenon Grocholewski

O Cardeal Zenon Grocholewski, Prefeito da Congregação para a Educação Católica (Santa Sé), celebrou a Missa de abertura da 24ª Assembleia Geral da Federação Internacional de Universidades Católicas − FIUC (em Inglês International Federation of Catholic Universities – IFCU) no dia 23 de julho, na capela Santo Inácio de Loiola do Centro Universitário da Faculdade de Engenharia Industrial (FEI) em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo.

A Solene Eucaristia foi concelebrada pelos cardeais Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB, e pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, dois bispos e uma vintena de clérigos. Cerca de 140 reitores e representantes de 113 universidades católicas de 44 países do mundo assistiram à celebração.

No início da Missa, o Cardeal Grocholewski leu o decreto da Santa Sé que oficializa o Bem-aventurado Cardeal John Henry Newman como patrono da Federação Internacional de Universidades Católicas.

Na homilia, o Cardeal Zenon tratou essencialmente da virtude da fé: “a fé que atua através do amor, e se converte num novo critério de pensamento que penetra em toda a vida do homem. No mundo universitário católico, a fé jamais pode ser considerada como mero acessório determinado por uma moda momentânea. A fé no Cristo morto e ressuscitado deve acompanhar cada reflexão e aprofundamento que se faça sobre a natureza, sobre o homem e sobre a sociedade. Querer-lhes subtrair a fé da investigação científica, significa construir uma ciência na qual reina o vazio”.

Em seguida, relembrou o papel da sabedoria na formação acadêmica: “O sinal da sabedoria de Salomão mencionado por Jesus Cristo no Evangelho nos leva a compreender que para aderir a Cristo, se requer ademais da fé n’Ele a asa da sabedoria ou da razão, a qual em perfeita harmonia com a fé pode alcançar os mistérios divinos”.

Sobre o papel da oração nas universidades católicas acrescentou o Cardeal: “É necessário recordar que a fonte da sabedoria de Salomão era seu permanente contato com Deus, ou seja, a oração e conversação com o Criador. Sem a oração seu raciocinar poderia ser considerado banal ou ausente de testemunho. A Rainha do Sul não haveria se proposto a escutar a sabedoria de Salomão se não houvesse encontrado em seu pensamento uma verdade nova e real, a verdade de Deus”.

Concluiu a brilhante homilia afirmando parafraseando um pensamento da encíclica Fides et Ratio do Beato Papa João Paulo II : “Nas universidades católicas, a razão não pode esquecer o mistério do amor que a cruz representa, enquanto que esta pode dar à razão a resposta última que busca. Não é a sabedoria das palavras senão a Palavra da sabedoria o critério de verdade. […] Que nossas instituições universitárias católicas sigam dando testemunho da fé em Cristo e da Sabedoria que vem do alto. Que ambas as asas, a fé a razão, continuem atuando no mundo universitário católico”.

Autor: Marcos Melo

Revisão: Guy de Ridder

Por decreto da Santa Sé, Pontifícia Universidade Católica do Peru perde os títulos de “Pontifícia” e de “Católica”

A Universidade foi fundada em 1917 e em 1942 foi erigida canonicamente com Decreto da Santa Sé. O comunicado do Vaticano afirma que o ateneu “a partir de 1967 modificou mais de uma vez unilateralmente os Estatutos com grave prejuízo dos interesses da Igreja”. Por isso, “a partir de 1990 em diante a Universidade, mais de uma vez solicitada pela Santa Sé a adequar os seus Estatutos à Constituição Apostólica “Ex Corde Ecclesiae” (15 de agosto de 1990), não correspondeu a tal dever legal”.

Coletiva de Imprensa da 24ª Assembleia da Federação Internacional das Universidades Católicas

“a Igreja Católica tem a missão de anunciar o Evangelho em toda parte, inclusive no âmbito acadêmico das universidades católicas. Esse anúncio se dá sobretudo ao comunicar valores. Foi esse o papel histórico da Igreja ao fundar colégios e posteriormente universidades nos locais em que exercia sua atividade pastoral. As universidades nasceram do coração e da mente da Igreja. As Universidades Católicas do mundo e do Brasil resolveram unir-se em comunidade. Por esta razão, existe também a iniciativa de unir-se em federações nacionais e internacionais”…

Chile: Congresso Internacional de Filosofia Tomista realizado pela Universidade São Tomás

Convocados em torno do tema “A Pessoa: divina, angélica, humana”, mais de 300 especialistas e estudiosos da filosofia de São Tomás de Aquino se reuniram no 1º Congresso Internacional de Filosofia Tomista, realizado entre 4 e 5 de julho na Universidade de São Tomás, em Santiago, no Chile.

cet

O Centro de Estudos Tomistas e a Sociedade Internacional Tomás de Aquino convidaram renomados filósofos da Itálias, Espanha, Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Brasil, Peru e Chile para compartilhar sesus ensinamentos à luz da metafísica e teologia do Aquinate, assim como sua vig?ncia e atual projeção.

Eleonore Stump, John Knasas, Tomás Melendo, Enrique Alarcón, Félix Adolfo Lamas, Antonio Amado, Juan Antonio Widow, Fernando Moreno e Vicenzo Benetollo, protagonizaram conferências magistrais.

Cerca de 60 conferências de alto nível foram apresentadas em quatro sessões simultâneas durante os três dias do Congresso, e em três mesas redondas refeltiu-se em conjunto a respeito da centalidade da pessoa desde a teologia, a metafísica, o direito e a educação.

Os ogranizadores do evento manifestaram a meios de comunicação católicos sua enorme satisfação com a grande procura e com a qualidade das reflexões que teve o Congresso, e esperam que ele volte a se repetir em um futuro próximo.

Com informações do Centro de Estudos Tomistas da Universidade São Tomás.

Fonte: (Gaudium Press13-07-2012)

Qual é o livro mais lido nos últimos 50 anos?

O romancista e editor norte-americano James Chapman realizou um longo trabalho de pesquisas a fim de “estabelecer com exatidão” a lista dos dez livros mais lidos no mundo nos últimos cinquenta anos e publicou seus resultados em http://www.squidoo.com/mostreadbooks.

bible

De acordo com suas conclusões, o livro mais lido é, de longe, a Bíblia, com 3,9 bilhões de exemplares impressos no último meio século. Ele é seguido por considerável distância pelo “livro vermelho” de Mao Tsé-Tung, do qual teriam sido impressas 820 milhões de cópias.