Santo pelas suas virtudes; por ofício, Samurai


Senhor do castelo do Takatsuki, no Japão, Takayama Ukon ou Hikogoro Shigetomo, como também é conhecido, preferiu perder bens e honrarias a renunciar à fé católica. Por isso é conhecido como “O Samurai de Cristo”.

Em agosto, a Conferência de Bispos Católicos do Japão encaminhou à Congregação para as Causas dos Santos, na Santa Sé, todos os documentos e relatórios referentes à vida deste kirishitan daimyo (Grande Senhor Cristão).Ele  nasceu em 1552 em Haibara-cho, Nara, e morreu em Manila, nas Filipinas no dia 4 de fevereiro de 1615.

Takayama foi batizado aos doze anos com o nome de Iustus, quando seu pai se converteu ao catolicismo, e muitos conhecidos e amigos seguiram seu exemplo. No ano 1587 os missionários foram expulsos do Japão e uma grande perseguição teve início naquele ano.

Não foram poucos os senhores convertidos  que renegaram a fé para não perder seus títulos e terras. Não porém Takayama e seu pai, os quais, com a proibição definitiva contra a fé católica em 1614, exilaram-se nas Filipinas, junto com outros 300 batizados.

Aí viveu apenas 40 dias, morrendo aos 63 anos de idade e recebendo as honras militares devidas à sua dignidade. Este poderá ser  o primeiro santo japonês canonizado individualmente: os outros 42 santos e 393 beatos japoneses têm suas memórias celebradas em conjunto.

O árduo caminho de Takayama rumo aos altares começou com uma solicitação do clero das Filipinas pedindo sua beatificação no século XVII. “Takayama nunca foi desorientado pelos que o rodeavam. De maneira persistente viveu uma vida na qual seguiu sua consciência…

Levou sua vida de forma apropriada para um santo e continua inspirando valor a muitas pessoas ainda hoje”, declarou o Padre Hiroaki Kawamura, diretor da comissão diocesana para o processo, o qual, na esperança dos Bispos, poderia ser concluído em 2015, no quarto centenário do falecimento do Samurai de Cristo.

Fonte: Revista Arautos do Evangelho n. 142.


Deixe uma resposta