“Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”

 

   Grande multidão que se reúne. O que será? Um jogo internacional? Talvez uma apresentação de músicas modernas? Não. Então, do que se trata? Qual outro espetáculo é capaz de reunir tamanho contingente de pessoas? Tentemos adivinhar, porém, sem a ninguém perguntar. Apenas analisemos a atitude destas pessoas.

   A primeira impressão que temos é de uma tranquilidade, uma calma, um silêncio… Algo que não se encontra nas cidades de hoje em dia. Alguém poderia dizer que estão tristes, mas não é verdade, pois nota-se uma profunda alegria, estão recolhidos. A felicidade que sentem não se exterioriza numa gargalhada nem num grito histérico, pois eles não procuram parecer felizes perante os outros, eles o são de fato. Onde eles estão? O que fazem? Qual o motivo de tanta alegria e recolhimento? É tão simples que chega a ser caseiro Eles saúdam sua Mãe. Não porém aquela mãe que nos trouxe a este mundo, mas Aquela que nos trouxe a Vida Eterna: a Santíssima Virgem Maria.

Solene coroação da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima

   13 de maio de 2013! Solene festa é realizada na Basílica Nossa Senhora do Rosário. Incontável número de pessoas participa da solene coroação de Nossa Senhora de Fátima e assiste à Santa Missa em louvor à Imaculada. Agredidos pela realidade contemporânea, estes fiéis vêm procurar alento e consolo junto à sua Mãe a fim de terem forças ao enfrentar os sofrimentos neste vale lágrimas, pois sabem que Ela prometeu: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”

   Caravanas provindas do centro de São Paulo, de outros estados brasileiros e de outras nações enchem a Basílica do Rosário, situada na Serra da cantareira. A diversidade de pessoas e de povos parece bem combinar com as harmoniosas cores do recinto sagrado. O incenso que sobe e é iluminado pelas luzes dos vitrais assemelha-se à oração dos fiéis que sobe, por intermédio de Maria, até as alturas, onde está Deus. O intenso perfume das flores, infelizmente, não se compara àquela agradável fragrância exalada pelas almas dos devotos da Virgem. Tudo, enfim, canta um louvor intérmino à Senhora de Fátima.

Um dos peregrinos, arrebatado de encanto, exclamou no final da cerimônia: “Agora eu já posso morrer!” Logo o inquiriram o motivo de tão eloqüente afirmação, ao que ele respondeu: “Depois de me ter confessado, comungado, rezado o terço e estar aqui, eu já posso morrer, pois não falta mais nada!” Uma senhora, notando que todos já se iam retirando, não hesitou em exprimir seu desejo: “A vontade que tenho é de nunca mais sair daqui…” De fato, logo na benção final da Missa,    todos já sentiam saudades. Sem embargo, o mais importante é saber que Nossa Senhora nunca nos abandona, por mais adversa que seja a situação em que nos encontremos. Ela nos acompanha do começo ao fim desta vida, esperando se encontrar conosco nos umbrais da eternidade, introduzindo-nos na corte de seu Filho.

Todos de baixo do manto da Santíssima Virgem

Fim da Missa, os fiéis acorreram aos pés da Imagem que foi coroada para se despedirem. Todos pediam piedosamente uma das flores que tivera a ventura de estar aos pés da Virgem, sobre o andor. Porém, como era de se prever, logo estas se  esgotaram. Tocavam, então, Rosários, fotos e objetos variados na Imagem, pois queriam levar alguma coisa de recordação. Assim, todos voltam satisfeitos às suas casas.

Quão solene foi a cerimônia, mas ao mesmo tempo tão singela! Que júbilo e que tranquilidade! Que curioso contraste! Como pode-se ter sentimentos tão opostos na aparência? É algo difícil de explicar. Somente os filhos de Nossa Senhora podem experimentar a suavidade e a doçura que há em honrá-la e louvá-la. Isto não é nenhuma recriminação a ninguém. Trata-se apenas de um convite: Venha!

 

                        Por fim, o meu Imaculado Coração Triunfará!
                                                               Matheus Massaaki Niwa/ 2º Teologia

Deixe uma resposta