Mons. Bruguès é nomeado Arquivista do Arquivo Secreto Vaticano e Bibliotecário da Biblioteca Vaticana

Em carta datada dodia 26 de junho de 2012, Mons. Cesare Pasini, Prefeito da Biblioteca Vaticana, tem a alegria de saudar o Cardeal Raffaele Farina, que teve sua renúncia por limite de idade aceita pelo Santo Padre. prefetto

Cardeal Farina nasceu na cidade italiana de Buonalbergo, fez-se salesiano e estudou em prestigiosas instituições de ciências eclesiásticas italianas e alemãs. Exerceu por diversos períodos cargos de importância na Universidade Salesiana de Roma.

Em 1992 foi nomeado por João Paulo II como Prefeito da Biblioteca Vaticana e executou valioso trabalho de catalogação, estudo e exegese em pergaminhos e textos raros do arquivo vaticano. Em 2006 havia se tornado Arquivista do Arquivo Secreto Vaticano e Bibliotecário da Biblioteca Vaticana, quando recebeu o título de arcebispo e cardeal da Igreja Romana.

Através de elegante missiva, Mons. Pasini agradece publicamente ao Cardeal Farina os anos de serviço precioso e profícuo na administração da Biblioteca Vaticana, mas sobretudo “pela ajuda e experiência, pela benevolência e delicadeza, pela clareza e o suporte, pela partilha e – se posso acrescentar – também pela amizade”.

Mons. Jean-Louis Bruguès, até então Secretário da Congregação para a Educação Católica, assume os cargos de Arquivista do Arquivo Secreto Vaticano e de Bibliotecário da Biblioteca Vaticana.Convém lembrar que esse cargo é tradicionalmente acompanhado da nomeação como Cardeal e o Papa Pio XI assumiu esta mesma função antes de ser elevado ao sumo pontificado.

Mons. Bruguès nasceu em Bagnères de Bigorre, França, tornou-se dominicano e após 25 anos de presbiterado (1975-2000), foi ordenado bispo em 30 de Abril de 2000 para a diocese de Angers, onde permaneceu até 2007 quando foi nomeado Secretário da Congregação para a Educação Católica com o título pessoal de Arcebispo.

200px-Emblem_of_Vatican_City

A Biblioteca Vaticana parece ter sido fundada com o nome de Scrinium que se remonta ao século VI, mas somente foi fundada oficialmente em 1891. Além do mais antigo manuscrito completo da Bíblia, o célebre Codex Vaticanus, a instituição possui a coleção com mais de 1 milhão e 600 mil impressos antigos e modernos, 8.300 incunábulos (obras impressas que datam da origem da imprensa), 150.000 manuscritos ou cartas de arquivo, 300.000 moedas e medalhas e cerca de 20.000 objetos de arte. Desenvolve-se um audacioso projeto de digitalização de parte desse material que visa torná-lo acessível à comunidade acadêmica.

Os membros do Instituto Teológico São Tomás de Aquino (ITTA) e do Instituto Filosófico Aristotélico Tomista (IFAT) se rejubilam com essa nomeação e fazem votos de que a ação de Mons. Bruguès na Biblioteca Vaticana seja ainda mais brilhante e frutuosa que na Congregação para a Educação Católica.

Autor: M. Melo

Revisão: F. Ramos

Deixe uma resposta