Deus…quem é Ele?

Instituto de Teologia dos Arautos do Evangelho publicará o primeiro volume da Coleção Conheça sua Fé: Deus…quem é Ele?


O “Deus desconhecido”. Foi este o motivo usado no discurso de São Paulo para anunciar o Senhor, no mais famoso centro intelectual da Grécia de seu tempo: o Aerópago. Na Capital da Sabedoria da Antiguidade, o Apóstolo pronunciou uma das poucas alocuções do Olimpo da filosofia que a História conservou até os nossos dias[1].

Um “Deus desconhecido”, que “se adora sem conhecer”… Esta realidade não é exclusiva dos antigos. Não será ela mais atual do que no tempo de São Paulo? Se fosse dada ao Apóstolo dos Gentios a possibilidade de, hoje, descer do Paraíso à Terra, não encontraria ele, em muitos corações, altares dedicados ao “Deus Desconhecido”? Na atualidade, portanto, Deus é realmente conhecido?

À primeira vista, a pergunta parece inútil, e a resposta evidentemente positiva: Deus é muito conhecido!

A Deus, todos os dias, agradecemos os bens, pedimos que nos livre do mal. Ele nos fala no interior do coração, protege-nos com sua providência discreta, mas eficaz; aconselha-nos em nossos soluços, alivia-nos em nossas penas; sussurra baixinho em nossos silêncios, e nos consola em nossos momentos de dor. Ele nos dá motivos de alegria e enxuga nossas lágrimas. Deus está sempre perto de nós. Portanto, é conhecidíssimo de todos os homens. Deus é o Ser mais famoso do mundo.

Mas há gente que, embora reconheça a existência de Deus, pensa de modo diverso. Para elas, Deus parece ausente do mundo. Não está nas telas dos telejornais, não tem espaço na mídia, Ele está longe de nosso cotidiano, nunca ninguém O viu… Para alguns, Deus é o culpado de toda dor, maldade e sofrimento. Ele parece demasiado exigente ao nos cobrar comportamentos morais muito elevados e árduos. Será que para tais pessoas Deus é realmente conhecido?

Será que mesmo entre os cristãos, aqueles que n’Ele acreditam e que O amam, existe um verdadeiro conhecimento de quem é Deus? Será que os cristãos conhecem o Bom Deus como Ele é? Será que não existe um altar em muitos corações – e inclusive no meu – com um lugar para o “Deus desconhecido”? Será que Deus não seria o Ser, ao mesmo tempo mais famoso, mas também o mais desconhecido do mundo atual?

E eu? Será que conheço Deus? Saberia responder às perguntas, quem é Ele? Como é Ele? O que é Ele? Onde Deus está? Como Ele vive? Como Ele me conhece? Como Ele me ama? Como é a intimidade d’Ele? Ele é feliz? O que fazer  para ser feliz como Ele?

Estas são perguntas difíceis de responder, as quais,  se formos pesquisar e aprofundar,  nos levariam  diante de um imenso mistério. A altura de Deus supera o alto dos céus, sua profundeza, todos os abismos. Seu tamanho é incomensurável, sua beleza é deslumbrante. Deus é… O que é Deus? Quem é Ele? Volta-nos à mente a maior das perguntas, questão que é, ela mesma, a maior das respostas, pois a procura de sua solução resolve todos os nossos problemas pessoais, responde todas as questões existenciais: para que nasci e vivo? Por que sofro e luto nesta terra? O que há depois da morte?

Sim, Deus é a solução. Mas onde encontrá-lo? Deus é o ser que enche meu vazio interior, que alimenta minha fome, que sacia minha sede, que veste minha nudez. Mas quem é Ele? Quem poderá apresentá-Lo a mim? De que maneira posso conhecer  Deus como Ele é?

São Paulo em Atenas definia o “Deus desconhecido” como um Ser semelhante a nós, “de nossa raça”, que “dá alento a todo vivente”,  convida-nos a conhecê-Lo, a amá-Lo e a segui-Lo. Ele está perto de mim, como diz São Paulo, n’Ele vivemos, movemo-nos e existimos (Cf. At 17, 21-34). Mas, volta à tona a pergunta fundamental: quem é Ele?

A resposta a esta pergunta é essencial para o homem compreender o sentido de sua vida, e constitui um convite constante e universal para alcançar o anseio mais recôndito do coração humano, a tão almejada felicidade. E eis que ela não está distante de nós, pois Deus nos quer como amigos. Deus deseja revelar-se ao homem. Ele gosta de conversar conosco. Ele está perto de nós, mas… estaremos nós perto d’Ele?

A fim de que este convite universal, dirigido a todos os homens e, por conseguinte, a mim, possa se realizar, alguns professores e alunos do Instituto Teológico São Tomás de Aquino (ITTA) e do Instituto Filosófico Aristotélico Tomista (IFAT) reuniram-se com o empenho de dar início à série Conheça a sua Fé, cujo primeiro exemplar é o livro que o benévolo leitor agora folheia. Ele não visa ser propriamente um catecismo, pois cabe à autoridade eclesiástica competente publicá-lo, mas somente um auxílio didático para catequistas, leigos ou pregadores que desejem aprofundar-se, deleitar-se e transmitir aos outros a nossa fé Católica.

Para isto, além dos ensinamentos Bíblicos e do magistério da Igreja, tanto Pontifício como Conciliar, os artigos se baseiam nos escritos dos Padres da Igreja, ou seja, dos primeiros doutores cristãos, assim como no pensamento de São Tomás de Aquino, o maior teólogo da História da Igreja, sem descuidar os avanços teológicos e exegéticos de nosso tempo. A linguagem visa ser simples e atraente, ao gosto do nosso público brasileiro. Tarefa não fácil, pois nosso povo, embora muito benévolo, é talvez um dos mais exigentes ao escolher uma opção de leitura. Esta adaptação procurará manter a especificidade dos termos usados pela filosofia e pela teologia cristã. Esperamos que esta leitura faça bem às almas, eleve a Deus os corações dos fieis e possa responder em algo à pergunta fundamental que move todas as inteligências e todos os corações, e cuja resposta pode resolver os problemas do homem, e, por consequência, do mundo em que vivemos, o grande Aerópago da modernidade.

O primeiro volume, apresentado por Dom Benedito Beni dos Santos, um dos teólogos brasileiros mais ilustres da atualidade, conta com 132 páginas ricamente ilustradas.  Para encomendar o seu entre em contato!

Instituto Lumen Sapientiae

Rua Dom Domingos de Sillos, n° 238 – sala 11

CEP: 02.526-030 – São Paulo –SP

(11) 4419-2311

E-mail: [email protected]

2012, 1ª Edição

Editora Lumen Sapientiae, São Paulo, 2012.


[1] Cf. Narrado em At 16,9, ocorrido por volta do ano 50-53 d. C..

Amália Antônia Camizão Silva Pereira

O livro que acabei de ler é excelente,para mim que sou totalmente leiga, foi um catesismo e muitas informações.
Também as ilustrações lindas.
Agradeço pà todos pela iniciativa, da preocupação e pela dedicação para todos nós.
Estou aguardando o próximo livro.
Obrigada
Amália

Deixe uma resposta