"A busca da verdade é a resposta à instabilidade de nossa sociedade", afirma o Papa aos docentes

POPE

Madri (Sexta-feira, 19-08-2011, Gaudium Press) Durante o encontro que o Papa Bento XVI teve com os jovens na Basílica de São Lourenço de El Escorial, o pontífice ressaltou que “numa sociedade vacilante e instável os jovens precisam de mestres autênticos e convictos”. O Santo Padre encorajou os jovens universitários a irem além de uma visão utilitarista na formação acadêmica para buscar a verdade própria da pessoa humana.

O Santo Padre encorajou os jovens universitários a irem além de uma visão utilitarista

Como parte da programação do evento, um jovem dirigiu um testemunho ao Papa. Ele disse ao pontífice que “em sua condição de um exímio professor universitário, nos faz especialmente sensíveis as nossas inquietudes e aspirações numa época e que não é fácil viver como cristãos coerentes no âmbito universitário. Nós que estamos reunidos aqui, temos vivido uma experiência pessoal de conversão em Cristo em que a razão e o conhecimento tem sido um eficaz auxílio na ação da graça”.

O Santo Padre respondeu afirmando que “encontrar-me aqui em meio a vós faz-me recordar os meus primeiros passos como professor na Universidade de Bonn. Quando ainda se sentiam as feridas da guerra e eram muitas as carências materiais, a tudo supria o encanto de uma atividade apaixonante, o trato com colegas das diversas disciplinas e o desejo de dar resposta às inquietações últimas e fundamentais dos alunos”. Bento XVI oferece palavras de recordação pessoal e de coragem aos jovens professores das universidades espanholas que exercem sua profissão “em circunstâncias nem sempre fáceis”. Aqui o Papa se refere aos últimos acontecimentos nas universidades na Espanha.

“Às vezes pensa-se – observou o Papa – que a missão de um professor universitário seja hoje, exclusivamente, a de formar profissionais competentes e eficientes que satisfaçam as exigências laborais de cada período concreto. Diz-se também que a única coisa que se deve privilegiar, na presente conjuntura, é a capacitação meramente técnica”. Porém concentrar-se somente no aspecto utilitarista e pragmático se corre o risco das consequências dramáticas “desde os abusos de uma ciência que não reconhece limites para além de si mesma, até ao totalitarismo político que se reanima facilmente quando é eliminada toda a referência superior ao mero cálculo de poder. Ao invés, a genuína ideia de universidade é que nos preserva precisamente desta visão reducionista e distorcida do humano”.

A verdadeira missão dos estudiosos é buscar a verdade própria da pessoa humana em transmitir um ideal universitário recebido pelos predecessores. Bento XVI exorta os jovens estudiosos a “não perderem jamais tal sensibilidade e encanto pela verdade”. Verdade que é sempre “mais alta do que as nossas metas” porque supera a nossa capacidade de possuí-la totalmente. “Na atividade intelectual e docente, – concluiu o pontífice – a humildade é também uma virtude indispensável, pois protege da vaidade que fecha o acesso à verdade. Não devemos atrair os estudantes para nós mesmos, mas encaminhá-los para essa verdade que todos procuramos”.

Ao término, em recordação da visita, o Santo Padre ofereceu aos padres agostinianos da Basílica El Escorial, um mosaico que representa São Lourenço, realizada pelo estúdio de Mosaico Vaticano. Em seguida o Papa almoça na Nunciatura Apostólica de Madri com 12 jovens. É um dos tradicionais encontros de toda Jornada Mundial da Juventude. Em Madri foram escolhidas pessoas entre os voluntários mais empenhados na preparação do evento.

Deixe uma resposta