Comunicado de Imprensa

“Na quarta-feira, 11 de Maio passado, em Quito, a Administração do Vicariato manteve uma reunião com Dom Ángel Polivio Sánchez, Bispo de Guaranda, secretário da Conferência Episcopal Equatoriana e Delegado Pontifício para o Vicariato Apostólico de São Miguel de Sucumbíos.

sucumbios.blog.arautos

Nessa reunião foi exposta a dolorosa situação econômica em que se encontra o Vicariato, e a situação crítica da “Rádio Sucumbíos”, que pertence legalmente à Igreja Católica em Sucumbíos.

A falta de meios econômicos para seguir mantendo os quase 20 funcionários da Rádio Sucumbíos – que custam pouco mais de 12 mil dólares mensais – e a falta de recursos da própria Rádio que permitam mantê-la, obrigou-a a tomar uma séria de medidas administrativas.

De fato, a Rádio terminou o ano de 2010 com um déficit de 27 mil dólares e um processo trabalhista de 28 mil dólares que se arrasta desde a administração anterior. E a perspectiva para o ano de 2011 é de que haverá 80 mil dólares de déficit.

A principal preocupação da administração do Vicariato era de que não houvesse interrupção nas atividades da Rádio, dado o importante papel favorável que sempre teve em prol da população. E a única maneira que se encontrou para manter funcionando a Rádio foi promover a redução do pessoal, e substituir os funcionários por voluntários.

Consequentemente, a administração do Vicariato de Sucumbíos decidiu hoje entregar pessoalmente uma carta de demissão aos funcionários da Rádio. Apesar dos membros da Administração terem se apresentado com toda tranquilidade e calma e depois de uma reunião mantida com funcionários em que se explicava esta situação, estes não só não aceitaram esta disposição, como juntaram alguns de seus seguidores e decidiram tomar de forma ilegal a Rádio, expulsando os representantes do Vicariato por meio de agressões físicas e insultos.

O procedimento que a Administração utilizou é o que estabelece a lei. Levaram as cartas de demissão para notificar os funcionários assinadas pelo representante legal, Mons. Ángel Polibio Sánchez.

Os salários do mês de abril estavam todos em dia, e foi oferecido um cheque que liquidava todos os direitos dos funcionários até a presente data, com demissão imediata, conforme o que dispõe a lei, de acordo com o estabelecido previamente na Inspetoria do Trabalho.

Entretanto, os funcionários não só se negaram a assinar a demissão, alegando uma suposta ilegalidade de procedimento, como desprezaram os cheques que foram oferecidos a eles.

A administração do Vicariato solicitará agora às autoridades o cumprimento da lei. O objetivo da nova administração é manter a Rádio com todo o apoio social que realiza, através de voluntários, religiosos e com menos funcionários, de maneira que se permita mantê-la economicamente.

Deixe uma resposta